Como Nadal dominou a final de Roland Garros
Por José Nilton Dalcim
11 de junho de 2017 às 10:23

Uma atuação impecável de Nadal em cima do único tenista que parecia ter condições de equilibrar uma partida com ele neste torneio. Mas as chances de Stan se limitaram a um break-point ainda no terceiro game e um 0-30 lá no final diante do volume de jogo do espanhol, que entrou com uma postura ofensiva. Usou muito bem o backhand, como vinha fazendo em toda a temporada sobre o saibro e assim não havia buracos para Wawrinka explorar. Acaba assim um longo jejum de três anos sem títulos de Grand Slam.
Terceiro set
6-1 –
Nadal completa a tarefa de forma muito mais tranquila do que se poderia imaginar, tendo dominado o jogo praticamente o tempo inteiro, com direito a 27 winners e apenas 12 erros. Nadal chega a um incrível 10º troféu de Roland Garros – o terceiro sem perder sets – e ao 15º título de Grand Slam da carreira. E começa agora a busca pelo número 1 do ranking.
5-1 –
Nadal saca bem novamente, mantém pressão sobre o adversário e só mesmo os nervos podem adiar a conquista.
4-1 –
A capacidade defensiva de Nadal se mostrou novamente essencial neste game em que Wawrinka bateu muito, tentou todos os ângulos mas sempre encontrou uma bola de volta. Jogo virtualmente acabou.
3-1 –
Wawrinka chegou a ter 0-30 jogando bem e ensaiou uma reação neste terceiro set, mas Nadal fechou a porta na hora e deve só ter aumentado a frustração do adversário.
2-1 –
Foi duro, mas enfim Wawrinka ganhou um game neste terceiro set. E olha que chegou a estar 30-30, com dois lances incríveis do adversário. A saída foi acertar grandes saques e atacar a segunda bola, o que pouco fez durante todo o jogo.
2-0 –
Espanhol foi até à rede e fez belíssimo voleio baixo. Simplesmente, não há buracos até agora para Wawrinka.
1-0
– Nadal já obtém a quebra no game inicial do terceiro set e começa a contagem regressiva para o histórico 10º título em Roland Garros. Uma reação agora teria de passar por uma queda absurda de produção do espanhol.
Números importantes ao final de dois sets: Nadal fez 18 winners contra 10 e errou 11 frente 23. Domínio indiscutível.
Segundo set
6-3 –
Wawrinka teve duas chances de apertar e deixar o game perigoso para Nadal, mas falhou e aí, frustrado, destruiu raquete. Se a tarefa de ganhar de Nadal numa final de Paris já era difícil, o que dizer então de virar de dois sets atrás?
5-3 –
Nadal fez 0-30, mas Wawrinka conseguiu reagir com bons saques. Que dureza ganhar um game para o suíço.
5-2 –
Nadal cumpriu à risca o que tinha de fazer. Sacou firme, fez Wawrinka se mexer o tempo todo e não deu brechas.
4-2 –
Apesar de um lance espetacular, Nadal acabou perdendo o game. Está evidente que Stan entrou mais no jogo, então o espanhol precisa mais do que nunca do primeiro saque para mantê-lo na defensiva.
4/1 –
Nadal precisa agora administrar bem os games de serviço, porque Stan parece ter se acalmado e conseguiu talvez seu melhor game desde o 2/1 lá do primeiro set.
3/1 –
Para escapar de um vexame completo, Wawrinka tem de melhorar o primeiro saque. Tentou outra mudança tática e foi à rede duas vezes neste game. Ao menos, venceu.
3/0 –
Espanhol mexeu com a cabeça do suíço, que agora está sem plano tático. Não sabe se investe na troca para cortar os erros ou se arrisca de vez.
2/0 –
Nadal ganhou confiança de vez e agora está muito firme na base, com bolas mais profundas e trocando de direção de forma muito inteligente. Wawrinka já mostra algum desespero.
1/0 –
Nadal sai de novo na frente, mas Stan mostra uma pequena mudança na atitude, decidindo encarar as trocas. Ainda assim, erra na hora de tentar definir.
Primeiro set
6/2 –
Primeiro set sai à perfeição para Nadal, mesmo com seu começo mais instável. A partir do break-point que salvou no terceiro game, dominou pouco a pouco. Stan ganhou apenas 50% dos pontos em que acertou o primeiro saque e já fez 17 erros não forçados.
5/2 –
Nadal confirma a quebra e vê adversário colecionar erros nos dois lados da base, sem mexer bem as pernas para chegar nas bolas.
4/2 –
Sem machucar Nadal com primeiro saque, Wawrinka de novo se perdeu com devoluções bem feitas e desta vez não deu para evitar a quebra.
3/2 –
Jogo ainda está um tanto preso dos dois lados. Nadal erra vários forehands longos na tentativa de aprofundar a bola e Stan bate firme, mas também não está indo tanto para as linhas.
2/2 –
Game bem longo e tenso, em que Nadal teve quatro chances de quebra, mas em todas elas Wawrinka sacou muito bem e curiosamente sempre no forehand do adversário.
2/1 –
Wawrinka aproveitou falhas no primeiro saque, agrediu e chegou ao break-point, mas então Rafa encaixou um grande saque profundo no backhand e escapou sem esforço.
1/0
– Nadal começa firme com o saque, mas pudemos ver um detalhe diferente: Stan tentou bater a devolução de forehand mesmo no primeiro saque de Nadal.


Comentários
  1. Mario Cesar Rodrigues

    Caro Dalcim que maravilha foi Rafael Nadal.Bem uma pergunta a vc ou quem quiser responder o vc com sua experiência..vc já viu um jogador mais aplicado táticamente,disciplinado em uma quadra se tiver eu nunca vi falar.Gente parem o Rafael Nadal estando assim não tem como ganhar dele.e o Stan não teve culpa o Nadal massacrou ele não deixou ele confortável aqueles monte de erros do Stan foi graças as Bolas de Rafa pergunte ao Bellucci ele esteve no ace explicou bem como as bolas do Rafa andam além de pesadas vem com efeito!Dalcim Décimo Caneco.Parabéns Rafa bem acertei o 3×0 uma parcial 6×2 mas estava pagando 1 por 5 então não dava para apostar muito!Parabéns Dalcim belo post.e comemorem Lógico e o Rafael aquele com sobrenome Yustrick kkk que afirmou aqui que Rafa não passaria do Thien…gente vcs não são obrigados a gostar do modo de jogar do Rafa até ai tudo bem…mas reverencie o cara alguém tem essa humildade ai?abraços Dalcim gostaria da resposta se poder claro!

    Responder
  2. Ziggy Stardust

    Meus sinceros parabéns a Nadal e a seus fãs. O 10° GS em RG é feito admirável, mais difícil que atravessar o Rubicão de costas.

    Rodrigo Keke, acredito que o Primal tenha de acelerar um pouco mais seu caos sonoro a fim de se adequar ao tiroteio da Letã, rs.

    Alice, com a devida permissão: “êba, êba, êba, êba, êba, êba, êba”, Wimbledon vem aí, lará, lará, lará.

    Bora, Mestre, passar o monstro Pistol Pete.

    Lógico, Sônia e demais “federetes”, nossa temporada predileta virá logo!!!

    Beijos, amigos.

    Responder
    1. Alice

      HaHaHa, que venha a grama sagrada dos torcedores do Federer, vou só retribuir os amores! Uma pressãozinha não faz mal…rsrs

      Federer é franco favorito ao caneco em Wimbledon! Hehehe (^.^)

      Beijos, Ziggy. É bom saber que tem outras garotas/mulheres aqui! Porque tem “pirralho” demais aqui! KKKK

      Responder
  3. Vitor M

    E não é que o baloeiro fez 27 winners! Pra um jogo que teve um total de 24 games, é um número bem razoável. E tem gente que insiste em dizer que Nadal só sabe dar balão e jogar bola pro alto. Se isso fosse suficiente para ganhar 15 Slams, porque é tão difícil para os outros? Afinal, tênis não se resume a aces e winners. Consistência, regularidade, estratégia, força mental, tudo isso faz parte do esporte e são fatores que não podem ser deixados de lado.
    Os federistas insistem em menosprezar o saibro, como se fosse um piso que consagra apenas jogadores fortes fisicamente. Longe disso! É preciso muita qualidade para jogar bem nessa superfície. E, na opinião deste apreciador do esporte, Federer e Nadal são os melhores da história, por tudo que envolve a carreira dos dois. Um é o melhor da quadra rápida e o outro da quadra lenta. Simples assim! Sou fã dos dois, mas acho que Federer tem mais Slams que Nadal por serem disputados 3 Slams em quadras mais rápidas e apenas 1 em quadra lenta. Se fosse meio a meio, acho que Nadal teria mais e seria detentor dos principais recordes. Mas enfim, os dois são monstros sagrados!
    Vamos ver o que a temporada disputada no mato tem a oferecer!
    Abraços mestre Dalcim. Sempre acompanho seu blog!
    PS: apesar do texto, não sou torcedor do Nadal. Apenas quero vida longa aos grandes jogadores!

    Responder
    1. Alice

      “mato”….KKKKKKKKKKK!
      É um ponto de vista bom, o fato de ter três Majors nas rápidas e apenas um no saibro, sendo assim o Nadal ‘hegemônico’ na terra batida poderia ter tido um ‘reinado maior nos GS’! Mas isso é “se” né? Faz parte! 🙂

      Responder
    2. jose yoh

      Concordo com tudo menos com o fato de Nadal ter menos slams que Federer porque temos somente um slam no saibro. Se fosse meio a meio, provavelmente Nadal não aguentaria jogar metade da temporada correndo para todo lado. Do jeito que é hoje normalmente ele aguenta só metade da temporada…

      Responder
  4. Luiz Fernando

    Que coisa linda a cerimonia de RG, a entrada do Tio Toni coma replica do trofeu foi algo maravilhoso, sublime, emocionante. Não me lembro de ver Rafa tao emocionado antes, e hj ele fez a maior partida q me lembro no saibro, operando a vitoria sobre Djoko em 2013. Os maiores méritos claro q são dele mesmo, q se dedicou a voltar ao topo, ao numero 1, algo q me parece questão de tempo, mas não ha como não mencionar o Tio Toni e o Moya. Este ultimo e um verdadeiro as como treinador, mais do q como jogador, basta ver a subida do Raonic sob sua tutela e a queda após sua saída, e o q houve hj com Rafa, que melhorou praticamente em todos os quesitos, com destaque especial para o BH e o serviço. Nadal e um monstro faminto para recuperar o tempo perdido dos 2 últimos anos, ou seja, vem mais mordidas nos trofeus por ai kkkk!!! COMO OS CRAS TAO SOFRENDOOOOOOO kkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!

    Responder
  5. Bruno Costa

    Saindo um pouco do óbvio do décimo título do Grande Rafael Nadal, miro opinião para a final feminina. Será que só eu não estou impressionado com o jogo da Ostapenko?
    A garota tem qualidades inegáveis, é claro: coragem, bate forte na bola e não sente muito a pressão. Mas em termos de jogo não vejo nada de diferente no jogo dela quando comparada a outras jogadoras surgidas nos últimos dez anos: pancada atrás de pancada. Aliás, a última a surgir com este este estilo e obter exito- em Slams- foi Petra Kivtova, ajudada é claro por um saque muito superior ao de Ostapenko. Todavia, a respeito de sua potência, mas falta de variação tática ou técnica, Kivtova nunca se mostrou capaz de se tornar uma número 1.É mais ou menos como vejo a Ostapenko: uma tenista capaz de arrasar em um dia, porém de fazer jogos terríveis na semana seguinte por falta de variação. Pessoalmente, gostaria que a adversária da final fosse uma Serena ou até mesmo Azarenka – que aprendeu a combinar força e variação em seu jogo. Duvido muito que Ostapenko teria aplicado os 50 Winners. Aliás, a despeito da incrível marca neste quesito, não devemos esquecer que também foram mais de 50 erros não forçados, o que faz eu perguntar: Como alguém consegue vencer um Grand Slam errando tanto? A resposta é simples: este é o estado das coisas na WTA. Sem Serena, Sharapova ou Azarenka o nível está mediano e muito igual. Isso sem contar que em nenhum momento, Simona Halep mereceu vencer, dada sua postura excessivamente passiva e variação tática inexistente. Ela andou confundindo variação com empurrar a bola para o outro lado. Logo, mesmo com as ressalvas que fiz à Ostapenko foi ela quem mereceu levar.

    Não gosto de escrever dessa forma sobre esportistas e devo todo o meu respeito. Mas a nível técnico baixo dessa final e os rumos da WTA me deixam muito aborrecido.

    Responder
  6. Mário Fagundes

    Ufa! Acabou RG!!!!!!!! Boa notícia! Este deve ter sido o slam mais fraco da história. Torneio de apenas um tenista. Não assisti jogo algum. Sorte minha. A má notícia é que o “tour”o vai muito confiante para a grama. Não será fácil batê-lo por lá também. Tomara que eu esteja errado.

    Responder
  7. Pedro Rodrigues

    Pois é. O torneio foi do Nadal de maneira incontestável, e após um respiro em Roma o titulo dos grandes torneios volta pra mão de um veterano do BIG 4, que aliás como alguém já apontou é BIG 3 mais Murray, que não tem números a altura dos demais.
    O domínio do Nadal na terra é algo assombroso, não há como fazer pouco caso, mas não posso deixar de notar que, pelo menos de 20 anos para cá, nunca o circuito esteve tão mal servido de jogadores de saibro. O espanhol não tem nada com isso e faz a parte dele com louvor, os tres decas estão ai para provar, mas que a concorrência não ajuda, não ajuda.
    Acredito que Nadal é o maior jogador de Saibro da história, e no minimo top 5 no geral da história, talvez segundo melhor, e não acho que isso se dá pelas circunstancias, mas sim por méritos do espanhol, mas sou obrigado a notar que se, por um lado nada mudaria o fato dele ser o maior da história no saibro, por outro um pouco mais de concorrência no saibro diminuiriam um pouco os números superlativos do Nadal. Repito, ele continuaria a ser o maior da história, mas 3 decas? 3 ou 4 edições de RG sem perder sets? É brincadeira. Falta disputa. Basta dizer que Federer é o segundo maior jogador de saibro em atividade, com um titulo e 5 finais em RG, fora masters. Outro número para provar meu ponto? Pois não, um dos três jogadores que mais venceu Nadal no saibro, três vezes, foi Gaudio, que alis foi campeão de RG se aproveitando desta entressafra. Gaudio que era um bom jogador, mas longe de ser brilhante> Aliás o H2H dele com o Nadal é 3 a 3, exatamente o mesmo que dele com Guga. Pela terceira vez, Nadal deixa de ser o melhor saibrista da história por isso? Não! Mas que joga quase sozinho no saibro joga.
    Concordas que há uma secura de talento, no circuito em geral, entre os nascidos em 88 e 95, para enfrentar o BIG 3 +1, mas no saibro em particular,caro Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Pedro. Se no circuito em geral há uma evidente dificuldade de a nova geração achar seu espaço, no saibro isso é ainda mais difícil, até porque a maioria não é verdadeiramente especialista no piso.

      Responder
    2. Charles Jr

      Pedro, se a gente seguir por essa lógica então teríamos que relativizar também a entressafra que pegou o Federer entre as gerações Sampras-Agassi-Guga e a sua. Nesses 3-4 anos ele praticamente dominou o circuito sozinho. Só começou a ser rivalizado assim que o espanhol ascendeu ao profisisonal… Acho injusta e ilógica essa sua análise.

      Responder
    3. jose yoh

      Acho natural que não tenham muitos especialistas no saibro, se fosse escolher um piso para treinar escolheria quadras rápidas porque temos mais torneios. Além do mais, temos o Nadal que desestimula qualquer um (rs).

      Responder
  8. Alexandre

    Incrível que depois desta façanhas ainda tem nego que vem aqui falar do “barro” como se a grama fosse muito mais importante, como se Nadal não tivesse ganhado lá também…e porque ninguem ganhou 10 x na grama também? e os “profeta” que diziam que Nadal aacbou desde 2014…novidade nem Nadala nem Djoko e nem Federer está longe de acabar…

    Responder
  9. Anderson P

    Sou fã do Nadal, mas é chato esse domínio absurdo que ele tem no saibro, os jogos parecem treinos. Estou ansioso para ver como ele vai jogar nos outros pisos. Jogando nesse nível, apostaria num terceiro USOpen, e contra o Federer de preferência, só lá o goat não perdeu uma final para o touro.

    Dalcim, alguma estatística de quem venceu um torneio de GS perdendo menos games? Essa certamente está entre eleas, apenas 35!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Temos um problema claro: um dos jogos de Nadal só teve praticamente um set. Então isso atrapalha as estatísticas. Mas o recorde é de Borg: 32 na campanha de 1978 com sete jogos completos.

      Responder
      1. Anderson P

        Verdade, tinha me esquecido do abandono… 32 games?! uau, que ridícula essa façanha do Borg.
        Valeu por essa e pelas outras respostas, Dalcim 🙂

        Responder
  10. Lucas alba

    Fiquei feliz com a campanha do nadal, como a campanha do federer no aussie open ! O tênis tá voltando a ser legal !!! Enfim entramos num grand slam com pelo menos 4 candidatos ao título (federer, nadal, djoko, murray) é mais 4 possíveis ganhadores ( delpo, wawrinka, raonic, dmitrov)… Wimbledon vai ser o melhor slam do ano!!! Enfim voltei a ter o prazer de assistir o imprevisível no tênis !!!

    Responder
  11. Fernando/MG

    Prezado Dalcim, pois é, e a história aconteceu na nossa frente, e que história!!!! 10 títulos em Roland Garros, épico, sobrenatural!!!!! Dalcim duas questões:
    1) em toda sua brilhante carreira jornalística, em algum momento você imaginou ver um jogador ganhar 10 vezes o mesmo majors?
    2) sem querer entrar no mérito de qual foi melhor ou não (cada um tem sua opinião) de todos os tempos, mas no campo do head x head. Dalcim, faltou para o Federer tirar um título do Nadal em RG o piso do espanhol, como o Nadal tirou do Federer em Wimbledon, o piso do suíço?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, certamente é algo muito difícil porque exige uma longevidade que não se previa que o esporte iria ter no século 21. Sim, vencer Nadal numa final de Roland Garros é um feito que ainda cabe ser feito no tênis.

      Responder
  12. Robson

    Bom,
    Espero que tenha caído por terra hj aquela ladainha sem nexo algum de Stan the man que nesse modo não perde pra ninguém,kkkkkkk,isso é a maior piada que já li aqui no blog desde 2011,kkkkkkkk
    Todos os grandes tenistas já tiveram momentos,jogos que a gente já virou e pensou e as vezes comentou; ” putz,jogando assim esse cara não perde pra ninguém”,
    Eu já pensei e comentei isso dezenas de vezes em relação a Novak,dezenas de vezes em relação a Federer, dezenas de vezes em relação a Sampras,algumas vezes em relação a Agassi,dezenas de vezes em relação a Nadal,algumas vezes em relação a Murray e nunca em relação a outro,mas apenas uma completa certeza até hj, ninguém foi, é ou será invencível.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Acredito que de tanto errar suas previsões sobre o Maior e Melhor e o ridículo faltam 6 , 5 , 4 …. finalmente aprendeu. Stan ainda não havia perdido FINAl de SLAM. Só que esta foi contra o Rei do Saibro em seu habitat. O buraco e’ bem mais embaixo. Nas duas contra Novak o bateu em 4 Sets. Abs!

      Responder
    2. Marco Dias

      Mas Stan não esteve nem perto de ligar o modo “Stanimal”. Jogou um ou dois games “on fire”, na verdade. Pode-se discutir que foi Nadal que não “permitiu” isso, ou seja, méritos do espanhol. Mas a verdade é que se Wawrinka tivesse conseguido jogar o seu melhor, poderia ter dado jogo.

      Responder
  13. marcos andre

    Este, pelo menos na minha opinião, foi um dos piores grand slans da historia, excetuando o nadal, nível técnico sofrível, zero de emoção e competitividade, totalmente decepcionante, acho este domínio do nadal péssimo pro torneio e pro tênis, sinceramente chegou a ser ridículo o desempenho dos adversários frente ao nadal neste torneio, pareceu uma disputa entre profissional e amador, espero que a grama sagrada de Wimbledon restaure a emoção e a competitividade tão indispensáveis para este esporte chamado tênis.

    Responder
  14. Fernando Pimentel

    Acho que hoje é um péssimo dia pra quem odeia Rafael Nadal.. parabéns ao espanhol pelo tridecacampeonato (Monte Carlo, Barcelona e Roland Garros) na gira de saibro!

    Responder
  15. André Barcellos

    Impressionante, fabuloso! Incrível o feito de Rafael Nadal!
    Não torço pelo espanhol. Pelo contrário. Torço contra. Sempre!
    Mas seria tolice demais deixar de reconhecer os méritos do maiorquino…
    Stan não conseguiu fazer muita coisa.
    Obviamente não jogou sua melhor partida, em parte por mérito do espanhol, em parte porque poderia estar nervoso ou um pouco estourado.
    Mas isso também é mérito do espanhol, porque não se desgastou no decorrer do torneio inteiro. Há de se reconhecer o mérito de quem joga sempre focado e com isso poupa tempo.
    O espanhol atinge um feito a meu ver inalcançável, talvez em qualquer GS.

    Responder
    1. jose yoh

      É… torci contra também, mas não dá para negar: deca eu não vou ver outro nesta encarnação não…
      O espanhol tem um jogo chato de se ver mas o feito é digno de aplausos de pé em cima da cadeira.

      Responder
  16. João ando

    Cpmecando a temporada de grama.vamos ver o que acontece quem viver vera…roger e nadal favpritos para grama. ..Nadal em ritmo de jogo Federer espero que tenha treinado bastante

    Responder
  17. Paulo F.

    É mais uma era de trevas para o tênis.
    Mas como não há mal que sempre dure, a redenção para esse digno esporte – mas mais uma vez manchado com uma demonstração horrorosa – acontecerá logo ali, em seu templo mais sagrado.
    Wimbledon será como um gigantesco descarrego para o tênis, outra vez ofendido e machucado com o grotesco.

    Responder
    1. José Alves

      Era de trevas vai ser quando esses corpos moles do Bernard Tomic e Nick Kirgyos estiverem dominando o circuito, aí sim será ridículo.Enquanto um tenista vem e diz que não treina no barro porque vai sujar os tenis da Nike(Kirgyos) o outro vem e ganha a Copa do Mundo de Saibro 10 vezes,só isso.Estamos vivendo a era áurea do tênis e quando passar será muito triste acompanhar esses novos “”””ídolos”””” que surgirão

      Responder
      1. Alice

        Pois é, nem eu acreditava, uma década! É domínio demais! Foi merecido, três anos de espera (hehe), dois anos sem final, chega em outra final de rápida (A.O) e perde no quinto set pra um renovado Roger Federer… Aconteceu, aliviou! Mostrou que ainda está ‘vivo’ e pode sim, porque não? Morder + algumas…rsrs

        Responder
      1. Alice

        Devastador, duvidaram, pressionaram, bateu aquele (Thiem) que acabou com sua invencibilidade na terra batida no ano, com direito a pneu, chegou na final, ‘tremeu’ no começo, encarando aquele (Wawrinka) que o venceu na final de um Major e até então invicto em finais desse porte, o tenistica que “realmente” podia fazer frente, nem chegou…rsrs

        Responder
    1. Nando

      Gabi, essas bizarices do espanhol eu não faço kkk, mas qnd estou vendo jogo do Timão e jogo do Rei, eu tenho a mania de mudar as coisas q estão perto de mim de lugar, qnd não está acontecendo do jeito q quero kkkkkkk.

      Responder
        1. Nando

          Hoje não funcionou no jogo de tênis kkk, e qnt ao jogo do Timão, eu estava na Arena…não precisei fazer nada pq o jogo foi fácil, apesar do placar não aparentar isso rsrs.

          Responder
    2. Mário Fagundes

      Sobre isso, quando os jogos se complicam para Federer sempre trago meu cão daks (popular salsicha) para torcer junto comigo. Roger tinha apenas um mês de vida quando foi batizado durante o AO. Um talismã mesmo.

      Responder
  18. Luis

    Dalcim a boa noticia foi que acabou a laje e o bandsports kkkkkkkk,e volta o Deus do Tenis rs,mas foi merecido pro Nadal pelo grande ano e o Wawrinka não conseguiu ligar rs,beijo Alice vamo comemorar juntos rs e o Logico nos defenda kkkk

    Responder
    1. Mario Cesar Rodrigues

      Feijão com Arroz kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk o cara jogou anulou todo plano do Stan volto a falar Rafa tem muita facilidade contra Stan,ai que vontade de ser só feijão e arroz.gente tenho Rivotril,lexotan,podem pedir mando sem receita!inveja disgramada!

      Responder
      1. MARCUS

        Maior que Nadal só Deus.
        Ninguém. …ninguém fez o que Nadal fez.
        Puristas terão que engolir.
        Querer comparar Wadrinka com Nadal é Ridículo.

        Responder
  19. Paulo Henrique

    A imagem das faixas na arquibancada, da bandeira espanhola subindo ao som do hino e Nadal no topo da rampa, foi um primor, uma obra de arte. Conta fácil a história e a importância da “La Decima”.

    Responder
    1. Alice

      Foi mesmo, aquela passarela com o 10 na frente, os torcedores com as escritas ” Rafa 10, Bravo Rafa” e ele segurando taça, foi histórico, foi 10! Hehehe

      Responder
  20. Luiz Fernando

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkk, TRIDECACAMPEAO, como os caras tao sofrendooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!! Nadal esta acabado segundo uma das sumidades, errou apenas no tempo, estava ACABANDO se atropelar mais uma vitima suíça em RG pra ser deca, ou melhor, tricadecampeao kkkkkk!!!!!

    Responder
  21. Fernando Brack

    Santo Deus, que torneio pífio esse! Ainda bem que não vi.
    Mais um dequinha pro ogro. Que ele e seus fãs curtam bastante.
    Tchau, barro! Tá indo muito tarde.

    Responder
    1. Luis

      Dalcim concordo Brack muito chato rs,o melhor de Paris foi o Guga kkkkkkk,emociona que cara legal,vou repetir o que um jornalista de uma Tv francesa disse” Vc e’ a pessoa mais legal “que passou por Paris rs,acho que Guga fez o Nadal sair das atenções no começo,Brack Federer volta a nos encantar Amem rs

      Responder
  22. Paulo

    Resposta para a Alice do post anterior:

    Se vc acha chato um elogio, associa amor a sofrimento.
    Prova disso é estar apaixonada pelo Lógico em vez de ficar com o Luis.

    Responder
    1. Alice

      Hãm? Que? Aff! É cada uma hein…eu adoro o Luis, não sou apaixonada por ninguém daqui KKK, o Lógico é um bebê que eu resolvi pegar pra adotar e passei a gostar das nossas trocas de farpas, porque apesar de tudo, eu sei que ele tem um bom coração e ador pra caramba a vovô aqui! KKKKKKKKK​ 😉

      Responder
  23. Alice

    Quanto tiro do Rafael Nadal nesse VT! E a frieza de quem foi o único tenista homem na história capaz de ganhar 10 títulos de um mesmo Major simples! É um monstro! 10 finais invicto em Paris!

    Responder
  24. Rafael Brasiliense

    Eu tava com muita expectativa nesse jogo. Queria ver como o cara que sempre ganhou de todo mundo em RG se comportaria frente à incógnita que joga como ninguém em finais de Slam, mas Stan pareceu um amador convidado para participar do treino do Nadal. Estava torcendo demais pra ele ativar aquele modo Stanimal contra Djokovic em 2015, por exemplo. Mas não aconteceu. Decepcionante.

    Responder
    1. José Alves

      O Stanimal estava lá,o problema é que foi completamente anulado. Stan tentou de tudo mas sempre a bola voltava,fazer o quê?.Nadal jogou com bolas muito profundas que dificultavam o jogo do Wawrinka. Ele monstruosamente surpreende a todos(menos à sua torcida)

      Responder
  25. Alice

    Vai começar as críticas…KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    É muito sofrimento em forma de recalque! Só uma recomendação, vá reclamar no reclameaqui.com
    …rsrs

    É Deca!

    Responder
  26. Rafael Wuthrich

    Parabéns a Nadal, que jogou muito bem, mas que decepcionante esse RG. Jogos ruins, zero emoção e disputa, resultado mais que esperado. Foi tão frustrante, que tenho certeza que muita gente se arrependeu de ter comprar ingressos. Fora Nadal, que sobrou como esperado,Thiem jogou bem e foi dominado; o resto foi sofrível, ao ponto de Murray, que vem fazendo temporada apagadíssima, ter chegado à semi. Mais baixo nível técnico desde o US Open 2012. Que diferença pro Australian Open, que teve excepcionais jogos.

    Responder
      1. Rafael Wüthrich

        Meu caro, menos, bem menos. Sempre disse aqui que (1) o nível do torneio estava baixíssimo e (2) Nadal não teria nenhum problema para ganhar o título, salvo um milagre. Esperava mais resistência de Thiem, é verdade, mas sempre apostei no espanhol – salvo minha torcida na hora do palpite do sorteio.

        Meça suas palavras. Educação vem em primeiro lugar, até porque não te ofendi em nenhum momento.

        Responder
  27. Márcio Souza

    VITÓRIA E TÍTULO INCONTESTÁVEIS!!!

    Parabéns Nadal pelo 10° caneco em RG.

    Infelizmente NINGUÉM conseguiu derrubar o Carranca…mas faz parte, semana que vem o GOAT ja estará em ação novamente e caso os dois se enfrentem em Wimbledon o Mestre vai trazer o espanhol de volta pra realidade nas derrotas.

    Curtam bem torcedores do Nadal, eu também vou curtir o meu churrasco com PICANHA que a derrota do sérvio ja havia me garantido durante a semana e prometo tomar UMA (eu disse somente UMA) em comemoração ao titulo do Siri Careca.

    A diferença em quantidade de Slam caiu para 4 novamente, mas em Wimbledon como eu disse as coisas voltam ao normal.

    Parabéns Nadal!!!

    Responder
      1. Márcio Souza

        Sim AKC!!!

        Esse corretor automático quebra a gente toda hora, estava digitando e ja de olho na churrasqueira acesa que só depois que postei fui ver que estava errado kkkk

        Mas ja corrigi lá.

        Valeu!

        Responder
    1. Fernando/MG

      Como eu sempre escrevo, quanto recalque amigo??? Quantas vezes o seu Federer foi vice do Nadal em Slams? E em RG? No head x head quanto é? Poderia me responder sem rodeios amigos! Ah, boa picanha e domingo, abraços.

      Responder
      1. Márcio Souza

        Que isso Fernando?

        Não é recalque…é somente “torcida contra e zueira”.
        Hoje por exemplo tem São Paulo x Corinthians na capital…você acha que os santistas e palmeirenses vão torcer pra quem?

        Pra ninguém…mas quem perder sera zuado nas redes sociais e nas rodas de amigos…simples assim.

        Foi assim hoje com o Nadal….se ganhou, damos os parabéns mas não ficamos lambendo, agora se perde…segura a gozação kkkkk

        Eu levo as coisas por esse lado, mas sei que tem pessoas que levam pra outro, afinal cada um é cada um.

        Bom, deixa eu tirar um cochilo que estou de barriga cheia e mais tarde vou assistir aos jogos da tarde…a picanha estava ótima como sempre.

        Boa comemoração a todos!

        Responder
        1. José Alves

          Boa Márcio,aproveite o churrasco que provavelmente Wimbledon será do Federer. Infelizmente Rafa não mantém o mesmo ritmo em wimbledon há muito tempo. Aproveitar agora pra tomar um açaí com azeitona em comemoração ao Rei do Saibro e chorar de rir com os recalques nesse blog kkkkk

          Responder
        2. Ziggy Stardust

          Boa noite, Márcio, que bom que te refestelastes com a picanha. Na próxima, eu, Gabi , Rafael e outros prezados colegas de blog seremos comensais, ok?

          É isso mesmo, bela filosofia de vida? Melindres teus pela vitória do Nadal por quê? Jamais. Parabenizaste-o como manda a etiqueta. Um bom sarro igualmente é necessário, basta saber o que dizer e a quem fazê-lo.

          Se alguém brinca em demasia, mas, quando alvo de chiste, “pega ar” imediato, que, então, não tente mais fazer troça ou aprenda a rir de si mesmo, como ensinara Chaplin. Oxalá a esportividade e o sense of humour sempre prevaleçam aqui.

          Felicidades.

          PS: não é por nada, querido, mas dizeres que palmeirenses e santistam mantêm neutralidade quando se enfrentam Corinthians e São Paulo parece-me questionável. Execeção feita a ti e a poucos abnegados, em um jogo como o de hoje, costumeiramente as más vibrações são dardejadas com fúria desejosamente deletéria em face do Timão.

          Responder
  28. Geraldo Soares

    Amigo Dalcim,

    vi agora que o Calendário do Monteiro coincide com o do Bellluci…. eu tenho falado isso é ruim pro dois pois tem treinando juntos o tempo todo, não vou nem mais falar que eles tem o mesmo treinandor e auxiliar técnico diferente….. querem abraçar tudo; gente tem ter foco na vida, se faz muitas coisas a tendencia é que se faça mal feito

    Responder
      1. Augusto Montenegro

        Seria muito dificil qualquer tenista vencer o espanhol hoje.

        Teria de ser aos poucos, minando o mental dele desde o início da partida. Suportando as trocas de bola.

        O estilo agressivo de Wawrinka que tanto funciona contra o Djoko não vingou contra um Nadal extremamente forte ( fisica, tatica e mentalmente) . Nesse sentido imagino que Murray seria mais trabalhoso.

        Responder
    1. Eronilson Teles

      segundo os especialistas esse seria a melhor final, melhor o nadal ganhando a décima do que esse stam seria um absurdo esse cara ter mais slam do que o murray

      Responder
  29. Marcos Marinho

    Wawrinka jogou nada no primeiro set. No segundo, melhorou e exigiu o Nadal, que respondeu bem demais. Agora não dá pra creditar a derrota apenas ao baixo nível do Stan, pois o Nadal está muito muito muito bem. Parece o melhor Nadal. O jogo já acabou, embora não tenha terminado ainda, rs

    Responder
    1. Augusto Montenegro

      Nadal está muito bem. Consistente. Dentro da proposta de jogo dele – a qual conhecemos. Forehand de Nadal machucando muito Wawrinka que não conseguiu entrar no clima ” Stan The Man “.

      Responder
  30. José Eduardo Pessanha

    Nando, fui olhar a programação de Stuttgart hoje, lá no site da ATP.
    Eis que aparece: abertura da Quadra Central- “Prática de Roger Federer”.
    kkk. Nunca tinha visto isso antes.

    Responder
    1. Eduardo

      Para vocês, A volta do verdadeiro tênis, aquele praticado na grama. RF ganhará o torneio jogando unas 3 horas no total, com 68 aces, 50 voleios e 50 Winners de primeira bola. Algo muito mais cut e mais relevante do que acaba de acontecer em Paris. Afinal de contas, que coisa banal um tenista dopado, baloeiro, etc, etc, ganhar 10 vezes nesse superfície tão “mortadela”. Que Nojo! Viva o tênis e viva os torcedores como vocês!

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Meu lance com o Conan não é só o jogo feio. É a catimba, a carranca, o físico absurdamente suspeito. Se fosse só o maratênis, eu não implicaria com ele. O que pega é o pacote completo. Abs.

        Responder
  31. Bruno Macedo

    “Wawrinka teve duas chances de deixar o game perigoso para Nadal, mas falhou e aí, frustrado, destruiu raquete. Se a tarefa de ganhar de Nadal numa final de Paris já era difícil, o que dizer então de virar de dois sets atrás?”

    Só se o Wawrinka fosse a Ostapenko! aahahhahahaha

    Responder
  32. Thiago Prada

    Bom, é isso. A vida é feita de alegrias e tristezas, em Janeiro pra mim foi alegria, agora é tristeza.
    Que os fãs de Nadal aproveitem, vou fazer uns trabalhos, que autônomo não tem folga, nem os estudos.

    Responder
  33. Alice - Dica!

    Rafa precisa encaixar o primeiro serviço, defender um pouco mais a frente, abrir mais a quadra, ou seja, arriscar mais e umas deixadinhas não seria de todo mal também! 🙂

    Responder
  34. José Eduardo Pessanha

    Mestre, uma coisa me chamou a atenção ontem. O toss da Ostapenko costuma fazer com que ela tenha que puxar muito a raquete pra trás. Acho que ela pode aperfeiçoar esse movimento, não sei se ela faz isso pra gerar mais força. Alguns saques dela ontem nem cruzaram a quadra. Mesmo assim, foi a grande campeã. Enfim, essa menina ainda vai alegrar muito a gente.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxar muito para trás geralmente é para obter o máximo de impulso e portanto velocidade de braço, que é o que define a força do saque. Talvez o vento tenha feito Ostapenko perder um pouco do tempo.

      Responder
  35. Alice - Dica!

    Agora que Nadal ganhou intensidade e está errando menos, o suíço tem que aproveitar e defender o primeiro serviço do espanhol um passo atrás da linha, já que Rafa está errando muito o primeiro saque. Segundo serviço, dentro da quadra. Pegar na subida todas as bolas e dando sempre um passo na frente, pra empurrar Nadal para trás e se ficar curta, não hesitar e partir pra frente, definindo o ponto!

    #VamosRafa

    Responder
  36. Robson

    Olhando Rafa atuar hj,pergunto,como alguém em sã consciência tem a coragem de chamar de jogador defensivo um cara como Nadal,que faz do adversário um limpador de parabrisas de uno a todo tempo?

    Responder
    1. AKC

      Concordo totalmente. O estilo do Nadal nunca foi defensivo, mas sim “defensivo-ofensivo”, porque o peso de sua bola agride. Quem o chama de baloeiro nunca jogou tênis.

      Responder
      1. Robson

        Olha,Nadal é um tenista tão fantástico,que tem um pouco de tudo ali:
        Bom saque
        Boa direita
        Boa esquerda
        Excelente movimentação
        Boa devolução
        Excelente físico
        Excelente mental(o mais forte da história de qualquer esporte)
        Excelente obediência tática
        Bons slices
        Bom jogo de rede
        Excelente agilidade
        Boa leitura de jogo
        Excelente defesa
        Boa ofensividade
        Resultado de tudo isso junto= tenista brilhante,espetacular.

        Responder
  37. Juscelino Júnior

    Caramba Dalcim, no 1.° set 10 winners do Nadal contra 4 do Wawrinka!! A tensão do jogo não me permitiu enxergar que o Espanhol está buscando ser agressivo!!

    Responder
  38. Robson

    Uai,o suíço ligou o botão modo balão hj?
    Kkkkk, não adiantou,foi ATROPELADO no primeiro set.
    Nadal jogando a 3 metros da linha de base,que dureza…

    Responder
  39. Rodrigo Keke

    Wawrinka após a quebra foi passear algures no sistema solar. Nadal continua jogando aquém do que pode, mas já é suficiente para abrir boa vantagem.

    Stan, meu filho! Faça alguma coisa com seu saque e ENF’s, senão o jogo acaba antes mesmo de começar!

    Responder
  40. Beto Souza

    Nadal já detonando a esquerda do suíço.
    Dalcim depois vc podia explicar melhor qual dificuldade dos tenistas que tem o backhand de uma mão só contra o Nadal.

    Responder
  41. Rodrigo Keke

    Dalcim, bom dia!

    Wawrinka passou aperto mas se mostrou calmo para evitar a quebra. Nadal está errando mais do que o usual, mas também confirmou sem problemas. Jogo começou no banho maria, não acha?

    Responder
  42. José Eduardo Pessanha

    Mestre, digamos que Nadal hoje é 40% daquele que enfrentava FedEx nas finais de RG. Muitos segundos saques, bolas um pouco mais curta e muitos erros não forçados. rs. Abs.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *