Rafa tem curiosa escalada ao número 1
Por José Nilton Dalcim
4 de agosto de 2017 às 23:35

Ainda bem que Montréal assistirá à chance de mudança na liderança do ranking e do reencontro entre os dois grandes nomes da temporada. Caso contrário, as ausências de Andy Murray, Novak Djokovic e Stan Wawrinka causariam um desastre, ainda mais quando vimos as surpresas e sofrimentos dos cabeças em Washington nesta semana.

A caminhada de Nadal rumo à retomada do número 1 é curiosa. Pode enfrentar Borna Coric na estreia, um tenista que hoje oferece pouco perigo mas tem histórico de duas vitórias em três jogos, e segue contra quem passar de John Isner e Juan Martin del Potro. Com o piso teoricamente lento, o canhoto espanhol tem favoritismo nos dois casos, embora Isner venha em bom momento.

Por fim, viria seu jogo mais importante da semana, já que Rafa precisa atingir a semifinal de Montréal para superar Andy Murray. E o principal candidato é o dono da casa, Milos Raonic. O canadense fez um bom Wimbledon, mas sequer passou por Jack Sock nesta quinta-feira em Washington.

A outra vaga na semifinal parece estar entre Alexander Zverev e Jo-Wilfried Tsonga, e ouso dizer que o alemão tem as melhores condições. De novo, espera-se um reencontro com Nick Kyrgios, porém o australiano teve um desempenho pífio em Washington e optou por abandonar depois de lances de dolorosa mediocridade. Tsonga tem uma estreia delicada contra Gilles Muller ou Sam Querrey e ainda pode cruzar com Kevin Anderson, que dia a dia recupera seu tênis de top 20.

No papel, Roger Federer se deu melhor no sorteio. Aguarda Vasek Pospisil ou Peter Polansky, deve encarar Jack Sock e depois possivelmente Kei Nishikori. A semi pode ter de tudo, de Grigor Dimitrov a Misha Zverev, de Tomas Berdych a Dominic Thiem. Em condições normais, ninguém com condições de ameaçar seriamente o número 3 do ranking qualquer que seja a velocidade do piso.

A última vez que Montréal não viu um Big 4 como campeão foi em 2003, com Andy Roddick. Mesmo desfalcado, tudo indica que a soberania vai continuar.

Outra baixa
Aquele incômodo no joelho que perseguiu Stan Wawrinka nos últimos torneios se transformou numa cirurgia e obrigatório afastamento para o restante da temporada, seguindo os passos de Djokovic. Ao menos, a previsão é que sua queda no ranking seja menor e ele tem até chance de terminar o ano entre os top 10 graças aos 3.150 pontos que acumulou desde janeiro.

No entanto, a longa parada de Stan preocupa mais. Em primeiro lugar, seu retorno se daria no piso sintético da Oceania e todo mundo sabe o quanto a quadra dura não é ideal para quem tem problema no joelho. Em 2013, Nadal adiou a volta estrategicamente para o saibro sul-americano para sofrer impacto menor. Além disso, Wawrinka sempre teve dificuldade para se manter no peso – o que aliás também força as articulações – e portanto terá de ser muito disciplinado nos próximos seis meses. Quem o conhece, considera isso uma tarefa bem difícil.


Comentários
  1. João ando

    Dalcim. Deixa eu te fazer uma pergunta .e muito importante esses embates entras os confrades …uns a favor do beluci outros a favor do Rogério Dutra .os torcedores do Nadal do novak .os que gostam do bachand de uma mão os que gostam de duas …uns extremamente agressivos as vezes agindo até como phd de instrutores de tenis .acho muito engraçado e movimenta muito o seu blog ne….João ando

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      É que você confunde preferência pessoal com FATOS.

      E contra fatos não há argumentos…

      De modo que vc tem todo direito do mundo de preferir o Rogerinho ao Thomaz.

      O que vc não pode fazer é escrever que o primeiro é melhor do que o segundo.

      Porque simplesmente não é.

      Responder
  2. Bernardo

    Dalcim, no jogo Thiem x Schwartzman, com o argentino sacando em 5-5 no segundo set, teve um ponto q o Bernardes marcou um “overrule” 3 depois o Thiem desafiou e errou, o Bernardes mandou voltar o ponto. Não deveria ter sido ponto do Schwartzman?? Abcs

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          A regra é simples: se uma bola boa (que não seja winner) for cantada fora, o ponto volta. A dúvida geralmente reside se era um winner ou não.

          Responder
  3. Sônia

    Dalcim, obrigada pela explicação sobre “possibilidades” de quadra lenta. Assistindo aqui ao jogo do Thiem contra o argentino, lembro-me de tua explicação. Realmente, muitas trocas, várias quebras, … , piso lentíssimo rsrsrs. Saque/Voleio seria burrice nesse tipo de piso? Beijos.

    Responder
      1. Mario Cesar Rodrigues

        Dalcim eu Falei c amigo que Montreal é a mais lenta e os caras aqui falaram Mário vc não sabe de nada…e continuo não sabendo!só sei que Rogérinho um ponto faz a diferença muitos me falam que não hoje foi aprova disto!deixa para os sabichões que entende, SR,RW.LF Lógico eu sou um analfabeto tanto em escrever como no tênis!Mas gosto! do Tênis!

        Responder
    1. JANAINA M DIAS

      Atitude lamentável e pouco inteligente, pois perderam a chance de fazer uma grande festa pro Rei e assim também divulgar mais o torneio..

      Responder
      1. Pieter

        Concordo com você, Janaína.
        Além da quadra lentíssima que irá prejudicá-lo mas favorecer sobremaneira ao Nadal.
        Acho que eles estão de marcação contra o Federer.

        Responder
  4. Paulo Henrique

    Dalcim, o Nadal andou treinando com Dimitrov em Mallorca. Você acha que a preparação em treinos com o búlgaro foi justamente para se “adaptar” as características do jogo de Federer(por jogarem de forma similar) já pensando nos embates que eles podem ter até o final do ano ou foi meramente uma coincidência que em qualquer um jogador pudesse estar lá?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Aposto mais na coincidência, mas pode ser sim algo tipo de preparação. Apesar de Nadal saber de cor e salteado como Federer joga.

      Responder
  5. Maurício Neves

    Boa noite Dalcim,

    fico feliz que Federer esteja preocupado em jogar o melhor tennis e não, como Nadal, querendo provar alguma coisa buscando o Nº 1, mas o povo não deixa e pede de joelhos.
    —————-
    Nadal esta jogando até torneio escolar se deixar.

    Responder
  6. Renato

    Belo jogo entre Rogerinho e Shapovalov. O canadense é muito agressivo, busca sempre as linhas. Ótimo saque e forehand, mas com o back(canhoto e de uma mão ) ainda irregular. Em breve deverá ser top-100. Dalcim, assistiu o jogo? Os juízes de linha são da casa ou estrangeiros, geralmente? Senti uma tendência pró- Shapovalov nas marcações dos juízes.

    Responder
  7. Renatinho

    Dalcim, neste caso do doping da Errani ainda é possível a punição ser suspensa ? Se for verdade o que ela disse, acho que nem negligência teve. Pelo o que entendi a mãe dela tomava um remédio e acabou que a substância foi parar numa massa que a mãe dela preparou para comer. Acho que esse caso tem que ser melhor avaliado. Em tese, nem negligência teve. Não tinha como a atleta ter controle sobre uma situação tão inusitada e imprevisível. Uma vez acho que vi uma notícia de um atleta que foi pego no doping ,pois foi contaminado pelo remédio que a namorada tomava através de um beijo e acabou sendo inocentado. Se isso for motivo de punição, daqui a pouco os atletas vão entrar em histeria e o mundo esportivo entrará num complexo de paranóias Atletas mandaram fazer análises de tudo que vai almoçar , jantar e beber na hora de consumir.,perguntaram à seus respectivos namorados (as) se tomaram algum remédio na hora de dar um beijo e etc . É um absurdo punição neste contexto. Nem negligência isso é.

    Responder
    1. Renatinho

      Dalcim,eu tenho a teoria de que tudo é possível neste mundo já que tem de tudo neste mundo(mas não nego que sou um pouco ingênuo às vezes kkkkkkkkk).Por mais que as alegações da errani pareçam meio sem noção ,talvez seja verdade,mas ela tem que provar.Ai fica a dúvida se é uma desculpa dela ou realmente ocorreu algo incomum(o que não é totalmente impossível de acontecer ).Se for a 2° opção, ela tem que provar.O caso do atleta que conseguiu provar sua inocência (o que alegou que ao beijar a namorada foi contaminado por uma substância de um remédio)no doping de forma concreta é do corredor Gil Roberts que foi medalhista de ouro no 4x 400 m na olimpíada do Rio 2016.

      Responder
    1. Fernando Brack

      Kkkk!! Natal do tênis foi boa. Mas deve ser mesmo. Afinal, celebra-se neste dia o nascimento de ninguém menos que o menino jesus deste maravilhoso esporte.

      Responder
  8. Luis

    Dalcim vendo 1 vez o jovem Shapo rs canhoto habilidoso arrisco dizer vai subir rapido no ranking ATP o que acha? Repetindo o Zverev rs e o Thiem,Parabens pro Federer Eu Te Amo kkkkkkkkk,grande pessoa e tenista sortudos em ver esse suico carreira toda rs que continue muitos anos ainda rs,abraco

    Responder
  9. Luis

    Dalcim vendo Coreano Chung tem bons golpes no fundo da quadra acho que nao varia muito poderia ta entre top 20? como conseguiram rapido Zverev,Thiem e Kyrgios e Go Federer rs

    Responder
  10. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Todos sabemos que esse ano as quadras do AUS OPEN estavam um pouco mais rápidas do que o habitual. No entanto, de regra as do US OPEN sempre são mais velozes do que as utilizadas na Oceania. Pois bem, seguindo esse raciocínio podemos esperar quadras bastante rápidas no Major Americano? Ou não? O q acha mestre.

    Responder
  11. Luiz Fernando

    Não gosto do Federer, mas é impossível não admirar um atleta de alto desempenho que aos 36 anos faz uma campanha como essa. Merece os parabéns pelo dia de hj.

    Responder
    1. Oliveira

      Eu não sou de comentar muito aqui no blog, contudo gosto de ler os comentários, principalmente os desprovidos de decência feitos pelos moralistas do blog, os quais não perdem uma oportunidade de se sentirem ofendidos pelas piadas feitas pelo Lógico.

      Portanto, Luis Fernando, você, com toda a sua pompa, é o último cara na face da terra que tem moral para fazer elogio ao APOSENTADO.

      LUIZ FERNANDO
      31 de janeiro de 2013 às 11:09
      Azarenka é uma mulher maravilhosa, mas com um gosto pra lá de duvidodo. Primeiro aquela roupa ridicula q usou na final do AO; agora com esse namorado (http://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/17863/Azarenka-e-namorado-assistem-a-jogo-de-basquete). Com um “bom” gosto desses só pode ser torcedora do aposentado…

      CERTO?

      Ps.: não quero que esse espaço se torne um lugar desconfortável para você, embora sinta há muito o cheiro de um bom óleo de peroba no ar vindo de seus comentários, então peço encarecidamente que, se puder evitar falar do suíço – uma vez que toda vez que o faz, apenas envergonha a sua própria pessoa…

      Att,

      Eu

      Responder
  12. Luiz Fernando

    Acapulco fechou com Rafa e agora quer Federer, bobos eles não? Esses dois, os maiores expoentes do tênis nos últimos 15 anos, há anos luz dos demais, antes eram apenas atrações em final de carreira, agora além disso são os mais competitivos do circuito, esporte é ou não algo maravilhoso????????

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Dalcim, além do interesse esportivo e de mídia óbvios, será q isso também não seria uma jogada dos organizadores para pleitear que o torneio se transforme em M1000 no futuro próximo?

      Responder
  13. Luis

    Dalcim que o Federer continue beliscando mais grandes torneios em 2017 seria muito Legal motivado a ganhar US Open ,alguns Masters rs e a chance seria muito boa de chegar no Numero 1 mais uma vez depois de alguns anos ,a chance maior nos 2 Masters e’ em Cincinnati pelo historico do Suico la mas conseguiu uma chave tranquila em Montreal sem surpresas tem tudo pra mais 1 final em 2017 o titulo seria uma marca dos 94 empatanto Lendl rs,mais um recorde pro suico nao se cansa rs,sera’ que tem no premio esportista do ano no Laureus o Federer Dalcim? rs,ainda sobre Montreal Raonic pode fazer um grande torneio tomara tem feito um ano ruim

    Responder
  14. Daniel

    Dalcim, eu mandei uma mensagem naquele telefone que vc me passou, pedindo pra ser adicionado no grupo de WhatsApp, mas não aconteceu nada… E tenho certeza que mandei pro número certo, pois tem até o logo do Tenisbrasil na foto.

    Precisa fazer algo mais?

    Responder
  15. Mário Fagundes

    O único jogo de Montreal a que pude assistir até agora foi o de Isner e Del Potro. Caramba! De tão lenta a quadra, o jogo até me deu sono. rsrsrs. Mas essa lentidão já era esperada mesmo.

    Responder
  16. kelvio lourenço

    mestre dalcim que bom voltar ao blog,vamos supor mestre que vc fosse o treinador de rafa nadal e que tivessemos um novo encontro com extraordinário federer qual a estratégia que vc elaboraria para esse confronto já que nos ultimos encontros federer conseguiu 4 vitórias importantes sobre o maior rival.sou torcedor de federer mas respeito demais os feitos de rafa nadal pois é um dos grandes em todos os tempos no circuito.abraço mestre dalcim dos seus admiradores de tianguá no ceará.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Difícil imaginar uma estratégia diferente entre dois tenistas que se conhecem tanto. Mas eu pediria ao Nadal para atacar mais a paralela com o forehand, o que certamente traria um elemento novo ao jogo.

      Responder
  17. Mário Fagundes

    Parabéns, Roger Federer, pelo dia de hoje! Que você continue proporcionando aos amantes do tênis-arte momentos de grande alegria e satisfação por mais alguns bons anos. Que Deus o mantenha saudável, sempre. Feliz aniversário!

    Responder
  18. Rubens Leme

    Dalcim, o Isner é um dos tenistas mais peculiares do circuito, por ser aquele que, talvez, melhor aproveite o “fator” casa em sua carreira.

    Em sua carreira, fez 24 finais, com 12 títulos e 12 vices, e soma exatos 10 campeonatos e 10 vice jogando nos EUA.

    Perdeu fora de casa apenas na Sérvia para o amigo Sam Querrey e, em Paris, pro Murray e seus dois únicos títulos no exterior foram os dois em Auckland.

    Se alguém procura um tenista caseiro, encontrou.

    Responder
  19. Nando

    Dalcim, qual a sua impressão sobre a velocidade das quadras em Montreal? Vendo o jogo do Delpo contra o Isner, parece estar QUASE parecida com Indian Wells.

    Responder
  20. O LÓGICO

    E começou o melhor período para o robozinho do tênis pornô kkkkkkkkkkkk É o momento em que ele aproveita a temporada para fazer turismo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Nesse ponto, temos que concordar, ele é bem sensato e faz uma espécie de meditação profunda kkkkk, se olha no espelho e se vê como um tenista extremamente medíocre kkkkkkk, comprovado pelo seu histórico fora da Laje, kkkk, relaxa e diz pra si: vou passear kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    E o M Chapado kkkkkkk continua acreditando que ele vai ganhar alguma coisa nas duras kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ele e o L Frustrado kkkkkkkkkkkkkk, pois a vovó Alice bateu as botas kkkkk O Luisão 171 não v[conseguiu aplicar o golpe na vovó e ficar com a herança dela: MIL Bonequinhos de gesso do 666 do tênis kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Preparem-se nadlazetes, que a partir de agora é só sofrência kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Mário Fagundes

      rsrsrsrsrsrs. Não acho que seja bem assim, Lógico. Nadal está muito motivado, vem jogando muito bem até aqui. E com a ausência de muitos tops, ele pode se aproveitar disso e fazer ótimas campanhas neste segundo semestre. Até mesmo Federer já afirmou que será difícil vencê-lo em Montreal.

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Pra aguentar as baixarias e comentários sórdidos de vcs precisa agir na base do bateu/levou, precisa muito estomago, a Alice aparentemente não teve…

      Responder
      1. Miguel BsB

        Rapaz, acho que a Alice abandonou o blog e agora só fica no grupo de zap zap…rs. Alguém que esteja lá pode informar? Fiquei um dia e saí, 500 msgs por hora não dá!
        Quem não deve estar gostando é o Dalcim, pq com ela fora são em média 50 comentários a menos por post…
        Bjos Alice! Rs

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, juro que não reparei nas pelos das pernas do Delpo… rsrs… Não, só se ele fosse nadador, fizesse saltos ornamentais ou velocista, já que a retirada dos pelos ajuda a diminuir o atrito e ganhar milésimos de segundo.

      Responder
      1. Sônia

        Rsrsrsrsrsrs, reparei por conhecer a perna dele, muuuuuito cabeluda (adooooro), mas foi apenas curiosidade tenística. Tente reparar no próximo jogo, tenisticamente falando claro rsrsrsrsrs. Deve ter algum motivo. Beijos e uma excelente semana.

        Responder
          1. JOSÉ EDUARDO PESSANHA

            Por causa dessa penugem, Sérgio Gonçalves inventou, para o Delpo, um dos apelidos mais engraçados que eu conheço: Lobisomem Mal Transformado.
            kkkk

    2. Mário Fagundes

      Hahahahaha! Poxa, Sônia, aí já é demais! É possível que só o segmento feminino e/ou torcedores do Nadal tenham observado esse “detalhe”. Brincadeirinha, galera! rsrsrs

      Responder
      1. Luis

        Sonia vou prestar atencao nas pernas das Tenistas da Bouchard rssss,um pena que nao indo longe nos torneios canadense rs,esse blog e’ incrivel kkk

        Responder
      1. Anderson Castro

        O blog mudou de “.com.br” para “.com” há algum tempo, mas mesmo assim quando eu acessava usando o “.com.br” entrava normalmente no blog (era redirecionado para o “.com”). Entretanto, na semana passada quando tentava acessar usando “.com.br” apresentava erro, mas eu conseguia acessar normalmente usando “.com”. Talvez ocorreu o mesmo você, Oswaldo.

        Responder
  21. Renato

    Dalcim, vc assistiu o vídeo do maters de Montreal? O vídeo ignora completamente Roger Federer. Mostra quase todos os top-30, menos o suíço. Será que tem alguma coisa pelo fato de Roger não ter jogado por muito tempo lá?

    Responder
    1. Mário Fagundes

      Acho que o vídeo já estava pronto há algum tempo. E talvez pelo fato de que a organização não acreditava na participação de Federer. rsrs

      Responder
  22. Luis

    Dalcim comeco de Montreal e a volta quadra dura que a maioria gosta quadra parece mais lenta que Cincinnati devera ser mais rapida,mas da pro Federer nesse grande 2017 pareceu um pouco veloz quadra Montreal o que achou?

    Responder
      1. Eduardo Nery

        Dalcim, estou confuso. Todos dizem que Miami é lenta e não Indian Wells. Mas agora se diz que Montreal está lenta como Indian Wells… Só para eu entender melhor, comparando essas 3 quadras em 2017, qual a mais lenta e qual a mais rápida?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Há diferença entre quadra lenta e condições lentas, as pessoas confundem um pouco. O piso de Indian Wells ficou mais lento do que Miami, porém Miami ainda tem a forte umidade para deixar tudo mais lento ainda. Então você pode imaginar Montréal tão lento quanto os dois.

          Responder
      2. Sônia

        Dalcim, quando voce diz que a quadra está lenta, seria pela quantidade de shots ao definir o ponto, velocidade do saque (creio que nada a ver com o piso) ou apenas experiência vendo pela TV? Beijos.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que há vários indícios: muitas trocas, dificuldade em finalizar pontos, muita gente se defendendo bem (até o Delpo fez isso ontem) e mais quebras de saque do que o normal para a quadra dura.

          Responder
  23. Renato

    Dalcim, não sei se vc concorda, mas a quadra em Montreal parece ser a sintética mais lenta entre todas. O jogo parece em câmera lenta.

    Responder
  24. Pieter

    Dalcim, li no site da ATP que o pai do Rogerinho foi tenista profissional também. Isto é verdade? Você chegou a vê-lo jogar?
    O filho mais velho só resolveu dedicar-se ao tênis profissionalmente depois dos 15 anos, segundo a ATP também. Bem interessante…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se tentou jogar profissional, foi bem rápido e pouco. Mas a família toda é de tenistas, sejam jogadores profissionais, amadores ou treinadores.

      Responder
  25. João ando

    ‘ o lu foi quem mais ganhou challenger …dalcim da para ficar rico sp ganhando challenger?e a Sara errani pega no antidoping. ..putz

    Responder
  26. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Cadê a Bia ? Tá contundida ou tirando um descanso ? Monteiro e Bellucci também não jogam essa semana ?
    Com as ausências esse torneio em Montreal vai ficar pra lá de chato.

    abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bellucci e Monteiro saíram do saibro e preferiram voltar para casa. Bellucci só entraria de última hora, Monteiro teria de ir ao quali. Bia continua se preparando no Rio e deve jogar semana que vem em Cincinnati.

      Responder
      1. Marcelo Calmon

        Quanto ao US Open, os GS não são obrigados a reservar 104 vagas pelo ranking , ou cada um adota o critério que quiser ? Sei que tem os caras com ranking protegido.
        Parece que neste ano só 93 garantiram a vago via ranking !!
        E o ranking que vale para definir os tenistas (6 semanas antes do torneios) é o mesmo pros alternates ? O Monteiro, pelo que li, precisava de 4 desistências para entrar direto na chave principal. Com as desistências do Djoko, Wawinkra, Nishioka e da suspensão do Evans, ele se garantiu na chave principal ou depende de mais desistências.

        abs

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          A regra é a mesma: são 104 direto pelo ranking (o que inclui eventuais RP). Sim, os alternates seguem a data de seis semanas. Monteiro ficou cinco fora, portanto com esses quatro casos resta ainda mais uma desistência para ele entrar diretamente. Vamos torcer.

          Responder
  27. Paulo F.

    Mestre Dalcim:
    – Alguma novidade no tratamento de Djokovic – isto é – se também necessitará de tratamento cirúrgico, como o Wawrinka?
    Atenciosamente, boa semana e bom torneio de Montreal para ti e os leitores do blog!

    Responder
  28. JOSÉ EDUARDO PESSANHA

    Bom dia a todos. Esse título do Zverev põe fim à discussão sobre quem é melhor, ele ou Thiem. Zverev é muito superior ao superesTHIEMado, pois já tem um currículo mais expressivo mesmo sendo quase 4 anos mais jovem. Zverev tem todos os golpes melhores, tem um maior poder mental, saca melhor, é mais raçudo, enfim, a diferença é abissal. E amanhã será o Dia do Tênis, pois vem aí mais um aniversário do Craque. Que ele continue varrendo o Maratênis e surrando a molecada por muitos e muitos anos. Abs.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Quantas semifinais de grand slam tem o Zverev? O Thiem já tem 2! E não acho o alemão tão talentoso assim não, bate pesado dos dois lados e saca muito, pq tem altura de boneco de posto. Não voleia tão bem, não tem muita variação de jogo…

      Responder
  29. Sérgio Ribeiro

    O MASTERS 1000 de Montreal , a meu ver, estabelece importantes novos parâmetros na Era Profissional. A chamada novíssima Geração tem seus Dois maiores expoentes presentes na edição já como Top 6 e 7 do Mundo. O Superestimado ( já acima da linha dos 4000 Pontos ) Dominic Thiem e o Chiliquento Talentosíssimo Alexandre Zverev. Respectivamente deixando para trás os representantes da Geração mal resolvida, Nishikori , Raonic e Dimitrov. Será o primeiro Torneio após Wimbledon , do Big Four + Wawrinka. E neste momento os TOPs 1 , 2 , 3 , 4 , 5 são também respectivamente : Andy Murray, Rafa Nadal, Roger Federer, Stan Wawrinka e Novak Djokovic. Alguns que não participaram de várias FINAIS de SLAM, não participarão do evento. E o N 1 ” Cabeça Fraca ” Top 15 ( 39 Semanas ) dos N 1 da Era Profissional , somente perderá o Posto se o N 2 fizer a sua parte. Abs !

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não acho o Zverev talentosíssimo, não.

      O Kyrgios, por exemplo, tem mais talento do que ele.

      A diferença é que não leva a carreira tão à sério como o Zverev.

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Finalmente , quase concordamos rs…Kyrgios e’ bem mais talentoso que o talentoso Zverev. Enquanto o primeiro parece seguir à escola do Trintao Fabio Fognini ( 5 ATPs) às vezes desprezando o importantíssimo jogo de pernas, o garoto Alemão esta’ aperfeiçoando a olhos vistos todos os fundamentos. Achei a contratação de Juan Carlos Ferrero para o Staff , mais uma prova de querer mais. Seu Pai não estava dando conta de bota-lo mais próximo à base ( Kyrgios nesse ponto e’ 10 ). O Tempo vai dizer qual deles vai mais longe a nível de carreira. De talento Kyrgios me parece acima de todos. Abs!

        Responder
    2. JOSÉ EDUARDO PESSANHA

      Sérgio, o Thiem está longe de ser novíssima geração. rs. 24 anos na cara. Pra mim nem o Kyrgios é da novíssima geração, pois já tem alguns anos de circuito. Abs.

      Responder
    3. JANAINA M DIAS

      Acho que o problema da geração “mal resolvida” foi não conseguir elevar seu nível de jogo de maneira consistente e regular pra enfrentar o Big 4 ( o que não é fácil, porque o nível dos 4 é muito alto, e eles conseguem eleva-lo ainda mais em situações extremas como nos tiebreaks )..
      Concordo com você quanto ao Thiem e Zverev, eles terão uma grande chance de surpreender agora, se conseguirem manter a cabeça fria nas horas decisivas..

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Obrigado , Janaina. O Problema é o Pessanha logo acima de você rs. Thiem esta’ com 23 e se profissionalizou em 2011 ( possui 7 ATPs ). Zverev e Kyrgios , ambos em 2013 ( 5 e 3 ATPs ). Comparando com Nishikori 2007, Raonic e Dimitrov em 2008 , podemos colocá-los ( os três primeiros ) , a meu ver, juntos na novíssima geração. E podem sim desafiar a médio prazo os Trintões do Big Four. ABS !

        Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Meu conceito de geração é diferente do seu. rs. Pra mim, por exemplo, Nadal não é da geração do Djokovic, apesar de ser só 11 meses mais velho. Nadal foi bem mais precoce, entrou no top 50 em 2003. Djokovic só entrou no top 100 em 2005. Outro exemplo bom é o Tomic. Tem só 25 anos, mas é tão rodado quanto o Japa e o Raonic.
          Abs.

          Responder
          1. JOSÉ EDUARDO PESSANHA

            Caramba. Tomic nem fez 25 anos, fará em outubro. É menos de 1 ano mais velho do que o Thiem. Pela lógica do Sérgio, os dois são da mesma geração, sendo que o Tomic apareceu uns 4 anos antes do Thiem. Pouquinha coisa. rs

  30. VALDIR BITTENCOURT JUNIOR

    Dalcim, ainda existe aquela regra de que tenistas acima de 30 anos podem escolher não jogar torneios obrigatórios mesmo sem motivos médicos, sem multas e etc?
    Se sim, com o envelhecimento do circuito, é bem possível que a ATP reveja essa regra, não?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A regra é um tanto mais complexa. Um tenista pode abrir mão de um Masters 1000 sem punição caso: atinja 600 jogos disputados (essa regra foi mexida e a partir de 2010 só valem jogos de chave principal de ATP, Slam, Olimpíadas e Davis); tenha ao menos 12 anos de carreira; ou se superar a casa dos 30. Apenas os tenistas que reunirem as três exigências ao mesmo tempo estará livre das obrigações. Ainda assim, um tenista não pode desistir de um mesmo torneio dois anos consecutivos.

      Responder
      1. Arthur

        Dalcim,

        Se um tenista não pode desistir de um torneio dois anos consecutivos, como foi que o Federer deixou de jogar RG no ano passado e neste?

        Um abraço

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Essa regra vale apenas para os Masters. Não é que ele não pode desistir, ele não pode usar a regra de benefício no mesmo torneio dois anos seguidos. No caso de Roland Garros, ficou com 0 ponto.

          Responder
          1. Rafael Brasiliense

            Ué, Dalcim, mas o Federer não participou de Montreal nem em 2015 e nem em 2016; não participou também de Madrid em 2016 e 2017. E provavelmente vai repetir isso em 2018, já que esse ano ele não participou de nenhum Master no saibro e de acordo com essa regra deverá, então, participar de todos do ano que vem, o que sabemos que muito provavelmente não vai acontecer.

          2. Rafael Brasiliense

            Como é essa punição do 0 ponto? O tenista simplesmente não recebe nenhum ponto daquele torneio? Se for isso, então qual seria a diferença dos Master em relação aos outros tipos de torneios? Porque isso acontece com todos. Qualquer jogador que não jogar qualquer torneio não irá somar os pontos daquele torneio, somando 0 pontos.

          3. José Nilton Dalcim

            Sim, se você se inscrever e não jogar, leva zero ponto. Mas aqueles que conta com a regra especial podem não se inscrever.

      2. VALDIR BITTENCOURT JUNIOR

        Ah, então a ATP já está se coçando com isso rsrs
        Achei que era só a idade mesmo, não esse conjunto de regras.
        +600 jogos na carreira tem bem poucos né? Federer, Nadal, Ferrer, quem mais?

        Responder
      3. SERGIO LANDIOSI

        Dalcim, neste caso, fiquei com uma dúvida. No caso do Federer, ele atendo tod esses quesitos citados por vc pra não participar dos torneios, mesmo assim, a ATP “somou” os torneios não jogados por ele no período da contusão e segundo vc disse em resposta ao comentário de outro colega que ele somou “0” pontos nestes torneios por serem obrigatórios. Afinal, o Federer estava obrigado a jogar estes torneios e porisso a ATP computa eles no total de torneios jogados no último ano?

        Responder
  31. Rodrigo S. Cruz

    Fica aqui a pergunta.

    João Ando e o Robson do sítio são irmãos siameses?

    Um querendo que Rogerinho seja o melhor brasileiro na marra.

    Pois a melhor posição dele no ranking é efêmera, o ano mal passou da metade, e a história já mostrou por A=B que os resultados da sua carreira são sempre bem modestos, se comparados aos do Bellucci…

    Já o outro, dispensa comentários.

    E me recuso a detalhar, porque asnice em nível interplanetário me causa prurido. E aí o meu comentário não seria liberado…

    Porém, uma coisa é certa.

    A ingenuidade da psiquê desses indivíduos é de uma simploriedade que chega a assustar…

    Responder
  32. José Eduardo Pessanha

    Mestre, o Vajda e aquele preparador físico ainda estão desempregados? Se eu fosse o Zverev, contrataria os dois correndo pra poder disputar os Slams. Abs.

    Responder
  33. Sônia

    Dalcim, assistindo o “treino” do Lindinho em Montreal rsrsrsrs, ELE bate na bolinha… aplausos, ele faz um winner… aplausos, ELE saca… aplausos rsrsrsrs, ELE senta na cadeira… aplausos, ELE olha pro público… gritinhos histéricos rsrsrsrs. Sensacional essa recepção, sensacional, adooooooooooro. Realmente, jamais serão, nunca serão. Beijos.

    Responder
  34. Bartolomeu

    Pelos resultados do ano, e pelas ausências que teremos no segundo semestre, acho que podemos cravar que

    1-) Federer ou Nadal terminam como número 1 (o US Open será essencial)

    2-) Zverev termina no Top 5

    Responder
  35. José Firmino

    Vcs pega demais no pé do Mário César! Poxa vida, ele é o maior comentarista de todos os tempos! Inteligente, educado, dinâmico…Uma lenda aqui no blog! E vou falar pra vcs, Nadal vai ganhar os próximos seis slam e vai por Federer no chinelo a partir de agora, como sempre fez! Alguém dúvida! Nadal é o maior da história e o suíço vai chorar. Mario, abraço. Vamos toma uma qualquer dia. Mas eu não tenho carro so bicictreta. Bamos! !!!!!!!!

    Responder
  36. RODRIGO AZEVEDO ALMEIDA

    Srs, vcs que estao vivendo na mesma epoca do big four, em especial o Federer, ontem vi pela ultima vez Bolt. Que epoca especial estamos vivendo, lendas vivas e competindo em alto nivel mesmo em idade mais avancada (Bolt, Federer, Nadal). Dalcim, no comentario da tv foi citado que campeoes dos 100m sempre estavam abaixo dos 25 anos, estamos vendo um tendencia mundial, nao so no tenis, de campeoes cada vez mais velhos. Desculpe a falta de acentos, problema no teclado. Abs.

    Responder
  37. Sérgio Ribeiro

    Sempre quando se fala do Calendário , não custa lembrar que somente se computa os Dezoito melhores resultados durante as 52 Semanas. Se tivermos 88 Torneios , em nada muda. Valerão os 18 melhores resultados a nível de Ranking. Até um dos 9 MASTERS 1000, no de Mônaco, a presença e’ facultativa. A meu ver, o erro está em DOIS MASTERS 1000 colados juntos a um SLAM. E o fato da briguinha da ITF com a ATP. Se os MASTERS são em melhor de 3 Sets, a Davis que possui 4 Rodadas, poderia se equiparar a esses eventos com os famosos 5 Sets somente na FINAL. E evidentemente com pontos valendo para ambos os Rankings. Como não vão mexer mesmo na ridícula padronização dos Pisos, a ATP e a ITF deveriam se entender e preservar mais os Atletas.

    Responder
  38. Márcio Souza

    Boa tarde a todos galera!

    Como ja disse la no grupo do wats, terça feira é aniversário do GOAT e ele só joga na quarta, esperamos que as comemorações com a Mirka não seja prolongadas durante a madrugada para que ele venha inteiro pro torneio, e em caso de título a chance dele ao vencer também em Cincinnatti aumentam muito para que no segundo Masters ele recupere o número 1.

    Aliás no grupo temos debatidos varios assuntos e esse dos tenistas extrapolarem demais nas noites anteriores aos grandes jogos com a suas esposas e namoradas, chegamos a conclusão que o mais prejudicado com certeza é o Berdych e por isso tudo explica como ele tem ido mal nas fases finais de torneios kkkkkk

    Imaginem numa noite anterior ao jogo a belíssima Satorova de lingerie e cheia de amor pra dar pro lado dele e ele com uma semifinal pra jogar no dia seguinte…não tem jeito o cara chega baleado e meia boca pro jogo kkkkk

    Alias, baseado nessa tese alguns afirmam que esta ai o motivo do Federer ter ficado quase 5 anos sem ganhar GS, a Mirka não dava sossego ao nosso craque e por isso que nos duelos principalmente com Djokovic ele chegava “mal das pernas” kkkkkn

    Foi só o Craque tirar um semestre de descanso das quadras e colocar a “conta” em dia com a patroa que nesse ano o homem ja conquistou 2 GS, 2 Masters, 1 ATP 500 e contando kkkk

    Resumindo então…que as comemorações pelo aniversário do GOAT na terça feira durante a madrugada não deixe o FEDERER sem forças, caso ele caia na estréia ja saberemos o motivo kkkkkkk

    Abs.

    PS: Rodrigo Cruz, Brack, Pieter, Marquinhos e mais infinidade de colegas aqui do Blog se possível juntem se a nós la no grupo do Wats, tem sido muito divertido e totalmente prazerosa a participação la com comentários em tempo real, troca de informações e conhecimentos, temos nos divertido muito lá…diz ai Nando? Kkkkk

    Quem puder entra lá e participem conosco

    Valeu!

    Responder
    1. João ando

      Márcio .a satorova podia deixar o berdich mal das pernas …mas a Mirka com certeza não foi a causa da queda do Roger…existe uma diferença muito grande.não da para comparar a Mirka com a Ester satorova

      Responder
      1. Sônia

        Nada a ver João Ando, nada a ver. É querer comparar a beleza do Berdych com seu “conterrâneo” Nishikori rsrsrs, ou seja, nada a ver. Amor não se explica, se vive. Beijos.

        Responder
        1. João ando

          Sonia .nada a ver pois quando o Agassi começou a namorar a brook Shields …não sei se você acompanha tenis ele foi a 250 do mundo e quando o tenista da Tailândia da qual não me lembro o nome e foi top 20 casou com a miss universo ele sumiu…lembrei paradorn shirishapan

          Responder
        2. João ando

          Sonia .não é minha praia …mas com certeza o berdich e mais assediado do que o nishikori. ..mas com o dinheiro que ele tem com certeza o japonês fica bonito …assim como o Neymar. …e no Japão o cara é um rei …assim como os lutadores de sumo…kkkk

          Responder
    2. Nando

      Exatamente, até o rancoroso LF se divertiria no grupo do whats kkkkk, reforço o convite a tds os citados e aos não-citados tbm.

      Mestre, vi q com o título do Zverev em Washington, o mesmo está a 190 pts do Thiem na corrida…pra vc, pelos torneios restantes no ano, quem termina na frente de quem (tendência) ??

      Responder
    3. André G.

      Estou tentando entrar no grupo, mandei uma mensagem para o número que o Dalcim enviou há mais de uma semana e não me responderam. Dalcim, consegue dar uma força la pf?

      Responder
    4. Gilvan

      A Satorova já foi espetacular. Hoje em dia, aos 25 anos ainda, está com a cara cheia de plásticas. Parece uma boneca Barbie que sofreu um derrame. O olho mal mexe.
      Federer está bem com a Mirka, que já foi considerada uma das mulheres mais belas do circuito.

      Responder
      1. João ando

        Me desculpa Gilvan ….Mas qundo ..Quando a Mirka era bebê….nunca tanto que na epoca qinado namoravam muitos falavam por que ele não ficava com uma modelo…?acho que você está com a memória esquecida

        Responder
  39. Arthur

    Um pouquinho off topic, Dalcim, mas que coisa boa é ver o Zverev entubando o Nishikori, hehehe…
    Já passou da hora desses caras que nunca disseram a que vieram dar lugar aos mais novos com gana de vencer, pra ver se enfim o Big4 começa a ser destronado.

    Um abraço.

    Responder
  40. Eliel Vieira

    Bom dia Dalcim.
    Primeiro parabéns pelo blog, sempre te acompanho aqui.
    Se puder me ajudar, estarei em Nova York e estou planejando ir assistir o us open no dia 06. Qual é o melhor lugar que eu possa estar pagando até $100?Qual site que manda o ingresso por email?
    Desde já, muito obrigado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Por esse valor, você pega um bom lugar nas fileiras mais baixas. Sugiro você entrar no site da Ticket Masters americana (clique aqui. Lá você pode escolher o valor que quer e a cada valor ele mostra sua visão da quadra. É uma forma excelente de visualizar cada setor. Você pode comprar por esse site (é o oficial) e provavelmente eles mandem o ticket por email e/ou no celular. Abs!

      Responder
  41. Rafael

    Este comentário vai dedicado especialmente ao colega que postou que “aquele com a fotinha do Djokovic” fica em cima do muro”, e trata-se de uma brincadeira, como acredito que foi o que ele também fez.

    Caso Djoko volte no ano que vem, e caso decida continuar jogando até os 35 anos, prevejo e aposto que ele terminará a carreira com 25 majors, 7 dos quais serão conquistados em Wimbledon, ultrapassando assim a marca de Federer. Sobre Masters 1000, ele terminará com 45 (ou seja, 15 a mais do que já tem), empatado com Nadal, que também terminará com 45. Prevejo ainda que retomará, at some point, a parceria com Becker. Ah, e todos os finals que disputar serão dele, mas isso é meio que óbvio.

    Prevejo também que Fabio Fognini, um cara super bacana, conquistará um slam.

    Nadal vencerá mais 5 vezes em RG e 2 no US Open, pelo menos.

    Federer terminará a carreira com 22 Slams. Um conquistará ainda esse ano. O outro eu não sei. Mas nunca mais vencerá Wimbledon.

    Bellucci conquistará dois masters 1000, vencendo, na final, Alexander Zverev em um, e Dominic Thiem no outro. Nessa época já será treinado por Roger Federer, que estará aposentado.

    Nick Kyrgios se aposentará em breve, deve permanecer no circuito por mais uns 3 anos e olha lá.

    Grande abraço a todos.

    ——————————

    PS: Dalcim, sobre a resposta q vc deu a outro colega (José, se não me engano), dizendo que o domínio já está há uns 2 meses no ar, é fato que tem ficado inacessível em algumas oportunidades. E não foram em dias de pico, ou eu imagino que não, pois quando tentei acessar não havia nada de especial acontecendo.

    Abs, continuamos acompanhando, apesar dos representantes da Milani estarem sempre nos brindando com amostras grátis de seus produtos.

    Responder
        1. Mario Cesar Rodrigues

          Sim é um TB sim após 6×6 no quinto set é o que vai a dois que quebrar e confirmar ganha mas aqui no Brasil não tem a cultura é só forma de expressar!o TB tradicional é até o quarto set em WB mas depois do 5 set 6×6 é o que me explica ai volto a dizer é questão de costume lá fora eles falam eita olha o TB!vai a dois !mas tudo bem!

          Responder
          1. Mario Cesar Rodrigues

            ATP começou a usarem 1970 o tb!só a excessão é o USOPEN no 5 set! o resto os 3 AO.RG.WB é o tb no 5 antes do quinto é o tb normal é o desempate,gravata,como vc achar que é cara to puto com o Palmeiras amanhã viajo cedo vai catar coquinho vai!

          2. Joncio Souza

            Não deveria, mas vou lhe ajudar. Em inglês existem dois tipos de nomenclatura para o set: advantage e tie-break. No advantage set, tem de se ganhar do oponente fazendo no mínimo seis games, por no mínimo dois games de diferença. Em caso de necessidade, o set continuará até a margem ser alcançada. É o que ainda acontece em Wimbledon, Roland Garros e no Australian Open no terceiro set para mulheres e no quinto set para homens. Na outra nomenclatura, o tie-break set, as regras são as mesmas, com a diferença de que caso haja empate em 6-6, é jogado o game desempate, chamado de tie-break game ou tiebreaker. Portanto, não, eles não falam “olha o tie-break” quando o quinto set está empatado em 6-6, pois não é a forma utilizada, para isso existe a diferença nas nomenclaturas.

            Caso ainda insista nesse pensamento, segue o site do livro de regras da ITF, bem como transcrição do mesmo na Wikipédia:

            http://itf.uberflip.com/i/619434-2016-rules-of-tennis-english/28 (Rule 6, Score in a set, p. 5)

            https://en.wikipedia.org/wiki/Tennis_scoring_system (2 Set Score)

    1. Dario Lemos

      Passe também os números de todas as Mega-Sena até a Mega da virada, mas tem uma condição: você está proibido de jogar, afinal, como vidente, não pode usar seus “poderes” para enriquecer a si mesmo. E, por último mas não menos importante, se eu acertar alguns jogos prometo que, a título de agradecimento, que te pago uma passagem de 1a. classe para você conhecer o cotonete.

      Responder
    2. Mário Fagundes

      Cara, não sei o que você bebeu, mas deve ser muito bom, viu? Ou teria batido a cabeça? Ou seria apenas uma brincadeira pra agitar o blog e ganhar notoriedade? rsrsrsrsrs. Nem Djokovic, nem Nadal e nem mesmo Federer devem ser tão otimistas quanto você.

      Responder
  42. Luis

    Dalcim sobrevivemos mesmo a crticas e elogios e vc principalmente que e’ Genthman nao sei se escreve assim kkk grande pessoa e uma paciencia enorme com os blogueiros,sobre Federer poderia ter pulado Montreal pra buscar Cincinnati e US Open em sequencia ? Pelo 2017 incrivel Federer pode ganhar esses 2 torneios rs

    Responder
  43. JANAINA M DIAS

    É uma pena não ter o STAN no US OPEN (gosto muito do jogo dele), mas assim como o Djoko, Stan tomou a decisão certa: é melhor parar e tratar as lesões agora do que se arriscar a agrava-las e talvez ter que encerrar a carreira precocemente..

    Responder
  44. Rafael

    Chave boa demais pro Federer, praticamente da pra crava-lo na final. Nadal tem uma chave menos fácil, logo, devemos mesmo ser agraciados com mais um FEDAL.
    Mas… mas…
    Nadal como novo N. 1 não pode deixar o mestre pensar que não é mais seu pato de estimação, tá na hora de por o Fedex no lugarzinho dele quando o assunto é FEDAL, lógico!
    Sempre foi pato!
    Tirou a cabeça pra fora d’Água e agora tens que afunda-la novamente, ou o número 1 não será bem vindo… tá falado.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Tirar a cabeça pra fora d’Água , amigo ? O Craque somente e’ Pato no Barro. Fora dele Rafa Nadal que se cuide…kkkkkkk ABS !

      Responder
  45. Bruno Macedo

    Gosto muito do Federer, é bom vê-lo ganhar. Mas que coisa CHATA todos os grandes torneios do ano se resumirem a Federer ou Nadal. Fica sem graça, é como assistir um filme sabendo o final. Os outros jogares não conseguem oferecer perigo, fica uma coisa meio bizarra. As finais de Roland Garros e de Wimbledon representaram bem isso que estou falando.

    Acho uma pena q Murray e Djokovic estarem mal. Alias, me arrisco dizer que de certa forma a ausência do Djokovic faz com que os feitos do Federer não sejam tão grandes quanto poderiam ser se Djokovic estivesse em condições reais de jogo.
    Uma pena que em 2017 não tenha sido possível assistir os 4 jogando bem. Os outros jogadores do circuito pareçam figurantes.

    Responder
      1. Bruno Macedo

        Renato, pode até ser, eu nem estava entrando nesse mérito. Disse apenas que se Djokovic estivesse jogando bem, as vitórias do Federer seriam ainda mais significativas. Da mesma forma, se Federer e Nadal estivessem jogando bem em 2015, as vitórias do Djokovic seriam ainda mais significativas.

        Responder
    1. FERNANDO

      Ninguém se importa se o djoko tava ou não no torneio. Aproveita pra ver o maior de todos escrever a história do tenis na nossa frente. Isso é oq vai ficar de importante nesse ano, não se o passador de bola tava jogando

      Responder
  46. Pieter

    Pena mesmo o Thiago Wild ter perdido a ótima chance de chegar a uma final de future. Teve 5/4 e saque no terceiro set embora àquela altura o jogo já estivesse claramente virando para o seu adversário, bem mais velho e quase 1.200 posições acima do brasileiro no ranking.
    Parece-me que foi falta de maturidade do juvenil em lidar com esse tipo de situação, mas o bom é que ele ainda tem muito tempo pela frente para melhorar!

    Responder
  47. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    com tantas desistências, seja por contusão ou mesmo decisão do tenista em não querer jogar o master Canadense em consequência de ter jogados diversos torneios antes. Poderíamos afirmar que da serie 1000 seja o torneio menos prestigiado pelos tenistas? Caso a resposta seja sim, o o torneio do Canadá poderia perder o status de master na próxima reformulação de calendário da ATP? Falo isso, porque vejo até o master de Monte Carlo mais valorizado pelos tenistas, mesmo não sendo obrigatório. Grato pela atenção.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O Canadá não tem culpa de nada. Faz dois belíssimos torneios simultâneos, um em cada cidade, e o público é sempre muito bom. O problema é do calendário e em muitos casos da falta de sorte mesmo. Então não vejo qualquer motivo para perderem o status de Masters.

      Responder
  48. Andre C

    Wawrinka “peitinho de menina moça” já era. Vai virar um balão. Só deve voltar razoavelmente bem perto de Paris 2018.

    Dalcim, que achou do veto dos 3 sets em jogos de Copa Davis pela ITF?? Adorei. Copa Davis sem 5 sets é um absurdo. Tem que ter.
    Discute-se o calendário ou a obrigação dos eventos oficiais, mas não no conteúdo do jogo. Pelo amor de deus.

    Responder
      1. Rafael Wuthrich

        O Mario Sergio Cruz destacou no twitter a informação de que o presidente da ITF fez uma manobra pra ter plenos poderes e mudar a Davis a seu bel prazer – acabando com os mandos, colocando em 3 sets. É verdade? Se sim, o qur acha?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que qualquer mudança precisaria ser testada. A ITF comete uma atrocidade com a Fed Cup, mudando seu formato continuamente, tentando malabarismos que prejudicam ainda mais a competição. Se fizerem o mesmo com a Davis, a Copa perderá totalmente seu brilho.

          Responder
  49. horacio nelson wendel

    Dalcin, a ATP tem representante no Brasil ? As seguidas contusões de estrelas do tenis, mostram como o calendario é desumano. Tenho um projeto inédito de calendario, bastante amadurecido, inteligente e de interesse tecnico e comercial crescente, portanto sem destruir o marketing atual. Quem voce sugere procurar ?

    Responder
    1. Fernando Brack

      Volta e meia temos essa mesma conversa. O calendário não tem nada de desumano. Ele está aí para atender não só os tenistas top, mas a massa de jogadores que quer fazer do esporte o seu ganha pão. As estrelas têm tudo pra fazer um calendário pessoal mais enxuto, pois costumam chegar mais longe nos grandes torneios, que dão mais pontos, e, portanto, têm totais condições de, mesmo jogando menos, manterem seus postos no ranking. Até porque a bagrada pode jogar o quanto quiser que, no máximo, vai ganhar um ATP250 ou outro na carreira toda. Se o calendário tem 60 a 70 torneios, eu acho que deveria ter 200, caso houvesse patrocínio e atratividade de público para tanto.

      Responder
  50. Bismarck Louback Zanon Neves

    Fala dalcim , bom dia !!

    Montreal tem o piso considerado igual Miami ??

    Em tese que pode dar mais trabalho a Federer ? Nishikori?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, algo próximo a Miami. Nishikori sempre é muito perigoso na quadra dura, mas tem se mostrado muito irregular em Washington.

      Responder
  51. Pieter

    Para além de ser o melhor de todos no tênis (hoje pode-se afirmar isso, sem exageros), Federer também é muito sortudo.
    Senão vejamos: aos 36 anos, tem a excepcional oportunidade de retornar ao posto de número 1 do mundo dependendo quase que somente de si mesmo, haja vista o afastamento de Djokovic, Wawrinka e os problemas no quadril do Murray. Nadal já não o ameaça tanto, principalmente em quadras duras. E, de quebra, ainda tem boas chances de faturar mais um Slam, simplesmente o inacreditável vigésimo deles. Não é um iluminado um jogador desses??!

    Responder
    1. Eduardo Nery

      Relembrando Tiger Woods no auge :

      “… quanto mais eu treino, mais sorte u tenho…”

      Colocar na conta da sorte é uma piada, para não falar outra coisa.

      Responder
    2. Mário Fagundes

      Nada se consegue em um esporte de alto rendimento sem trabalho, dedicação, foco e disciplina. Isto aliado ao talento natural não pode resultar em outra coisa que não seja sucesso. Esta é a receita de Federer.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Minha bola de cristal está quebrada, André… rsrs… Não dá para prever, mas tudo indica que Montréal será decidido por Nadal e Federer. Acho o suíço maior candidato a terminar como número 1.

      Responder
  52. Chetnik

    Os torcedores do tênis alpha male estão na torcida, Touro. Abaixo o tênis firula, mauricinho e molengão. – aka, tênis-ballet, kkkk.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pra mim, tênis molengão é esse tênis medíocre de ficar mandando bolinha a vida toda, REZANDO pro outro errar…

      Tênis covarde e medíocre, que se na ausência de muito físico, não funciona…

      Kkkkk

      Responder
    2. Chileno

      É… legal é aquele joguinho insosso de empurrar bola no meio da quadra até o adversário cansar/errar. Esse jogo aí que é divertido e interessante.

      Só o que me faltava…

      Responder
  53. Evaldo Moreira

    Dalcim,
    Vou fazer uma pergunta, totalmente fora desde texto, rsrsrs, e desculpe a minha colocação: vamos lá, estava vendo alguns jogos do Murray, e pelo de ele bater com as duas mãos, isso não seria uns dos fatores da lesão no quadril?.
    Pelo que vejo, ele gira bem o tronco, e chega me dar gastura, quando ele bate daquele jeito, e pela sua experiência nessa área, isso, na minha opinião, desgata o quadril com o tempo?, mesmo ele tendo essa preparação desde garoto, que faz assim, claro que, com alguns ajustes no jogo, ou é apenas impressão minha, e isso não tem nada ver como ele bate daquele jeito?, e sem falar, que se desgasta demais fisicamente, correndo daquela forma.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A contusão do quadril se dá geralmente pela falta de posicionamento, uma postura em que você bate mais de frente para a quadra e assim joga todo o trabalho para o giro de quadril acentuado. Não sei se é o caso de Murray – há muitos estudos que mostram que esse tipo de contusão pode ser congênito -, mas se for eu apostaria que se dá muito mais pela forma que ele bate o forehand.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Perfeito, caro Dalcim. GUGA e’ o maio exemplo. Quase sempre batia o Forehand de frente para a quadra. Com o Back de uma mão o giro e’ mais que obrigatório. ABS!

        Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Na boa, parceiro. São necessários 5 jogos para o Caneco ou Final, num MASTERS 1000. Então possíveis 17 jogos. O Caque Suíço entrou mesmo focado no N 1. A meu ver, o melhor seria Cincy e depois o USOPEN. E Paris antes do FINALS , se necessário. Ele e seu Staff optaram em não deixar a possibilidade do Espanhol abrir muito. Aos 36, não dá pra brincar. Mesmo com a maioria dos Trintões caindo pelas tabelas já em julho , também os Especialistas dizem que não há problema. Incrível! Abs!

        Responder
        1. Mário Fagundes

          Bem, acho que Federer vai decidir se disputa Cincinnati dependendo do título de Monreal, e levando em consideração o esforço exigido pela conquista. Penso que, caso vença todos os jogos rapidamente, em sets diretos, por que não disputar Cincinnati?

          Responder
  54. Rafael Brasiliense

    Que calendário bizarro esse do Fognini. O cara participa de três torneios de 250 pontos num período inferior a 20 dias, e depois desiste de um Master alegando cansaço. Ué, mas é lógico. Físico nenhum aguenta um calendário burro e desorganizado desses.

    Responder
    1. André Pires

      Só achei estranho pelo fato de ele já ter ido bem em Miami esse ano (fez semi lá), mas o melhor piso do Fognini é o saibro e ele provavelmente achou que poderia ser campeão em todos (só jogaria 4 jogos em cada torneio porque estava entre os 4 principais cabeças). Ganhou um e faturou 395 pontos no total. Pra somar o mesmo em Montreal, ele teria que fazer semis lá.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Agora Trintao , e’ que o preguiçoso Tenista não vai mudar ,amigo. Em toda a carreira apenas DUAS Finais de ATP 250 na quadra dura , perdidas para Klisan ( em 2012 ) e Carreno Busta ano passado. Abandonos aos turbilhões. Muitas vezes uma penca de ENFS por não mexer o corpo. Tênis não basta somente talento. Alguns desavisados entram em êxtase com o Italiano ,embora a meu ver, esteja longe de um jogador Completo. Abs!

        Responder
      2. Rafael Brasiliense

        Não acho que ele pensou que ganharia todos, André. O seu retrospecto mostra algo bem distante de três títulos seguidos em três torneios disputados: ele tem apenas 5 títulos na carreira, e conquistou somente um em 2016 e o primeiro de 2017 só agora, no penúltimo torneio que disputou.

        De qualquer forma, o pior é que ele jogou dois torneios 250, e com o fim do segundo, que ele ganhou, veio o desgaste físico. Faltava sete dias para o Maste, tempo suficiente para descansar. Diante disso, o que ele fez? Foi jogar outro torneio de 250 pontos. Jogou 3 jogos e, como já era previsivel, perdeu. Resultado: cansou ainda mais, desperdiçou o tempo de descanso e perdeu a oportunidade de jogar um Master jogado em quadra lenta – piso no qual ele tem mais chance. Simplesmente não dá pra entender. Foi um calendário burro. Muito burro. Os grandes torneios devem ser priorizados.

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Concordo.

      Até porque, ele já tinha sido campeão de um torneio 250 na semana passada.

      Não precisava emendar e jogar outro na sequência. Deveria ter tirado a semana para descanso…

      Responder
  55. Mario Cesar Rodrigues

    Dalcim,olha a chave hoje em dia conta mais para Rafa e a forma que deverá jogar!todos Coric ele tem que passar do qualy,Delpo,está ruim vi o jogo dele não aguentando o problema dele Dalcim a briga dele entre aspas com o Nalbadian na época foi que Nalbadiam disse em entrevista que Delpo não treina como se deve um tenista top,hoje vejo que tem razão ofegante ou tem algum problema com ele!?claro o pulso mas digo cansaço!Raonic Rafa engole ele bem rápido e o resto acontece Zverev isto claro são projeções mas a lógica é que Rafa chegue afinal e digo com tranquilidade!Federer nem sempre o que parece é vamos ver se a chave dele é fácil na quadra nesta quadra especificamente!Este negócio da Bia ela está machucada no ombro!

    Responder
  56. Rafael Brasiliense

    Como já me corrigiram no post anterior, na verdade quem disse que a esquerda do Wawrinka é limitada foi o Robson, e não o Luiz Fernando, como eu erroneamente apontei no meu comentário do post anterior. E foi um engano meu, e não uma mentira, meu amigo. Há uma grande diferença entre um e outro.

    Responder
    1. Robson

      Eu sempre disse e sempre direi,a esquerda dos dois suíços são limitadas sim, principalmente se comparadas as esquerdas de duas mãos como as de Novak e Zverev por exemplo.
      Federer por exemplo compensa e sempre compensou esse buraco da esquerda dele com os recursos geniais dele e óbvio com 2 fundamentos espetaculares que sempre teve,saque e direita.
      Só não vê quem não quer.

      Responder
      1. Rafael Brasiliense

        Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk dizer que a esquerda do Wawrinka é limitada é uma coisa tão absurda que chega a ser engraçado. Eu juro que às vezes lembro disso (que você acaba de reforçar) e começo a rir do nada.

        Cara, o suíço tem simplesmente a melhor esquerda da história. O Djokovic, o qual você é fã, que o diga: https://m.youtube.com/watch?v=8xomwMsYVhA

        Responder
        1. Robson

          Esteja a vontade pra rir do que quiser meu caro.
          A esquerda de uma mão é limitada sim,quer vcs fãs dos suíços queiram ou não, e só não esteve muito mais a prova esse buraco pq jogadores obedientes taticamente e sobretudo consistentes pra usar e abusar desse buraco no jogos dos suíços são apenas 2 entre centenas de tenistas profissionais,Nadal e Djokovic.
          A final de RG desse ano,Nadal nadou de braçadas em cima da esquerda do Wawrinka.
          Relação a esquerda do Wawrinka contra Novak, é natural que um jogador top como Wawrinka uma hora ou outra acertará tudo mesmo,ainda que com a esquerda,mas se vc olhar o h2h entre Wawrinka x Nadal e Wawrinka x Novak,vc verá que essa esquerda pífia o deixou na mão em 80% das vezes.
          Agora se for comparar esquerda de uma mão, aí sim,a do Wawrinka é a menos ruim que se tem no circuito,talvez empatada com a do Thiem.

          Responder
          1. Chileno

            Você está sendo simplista. Na maioria das derrotas do Stan para Nole ou Rafa ele perdeu APESAR da esquerda, e não POR CAUSA dela. Ele perdeu porque a devolução de saque dele não é muito boa, a movimentação e o físico normalmente não estão bons o bastante para aguentar o ritmo pesado e as longas trocas que o sérvio e o espanhol impõem… enfim… outros aspectos no jogo dele costumam falhar contra os dois, não o backhand.

            Importante frisar que um erro de esquerda em que o cara bateu desequilibrado ou mal posicionado porque chegou atrasado na bola não é falha do backhand em si, e sim do trabalho de pernas (acontece muito com o Stan). Um erro de backhand em que a bola veio na mão do cara depois de 25 trocas de bola, sendo que o cara já jogou 2h de partida até aquele momento, e vem de dois jogos duros nos dias anteriores, possivelmente seja por cansaço, e portanto falha física, e não por inconsistência do backhand em si. Obviamente já teve dias em que a esquerda dele estava ruim, assim como outros golpes bons dele e até de outros tenistas. Mas de maneira geral, o backhand dele é consistente, preciso, potente e sólido.

          2. Rafael Brasiliense

            “A esquerda do Wawrinka é pífia.”. Luiz Fernando, 06/08/2017.

            Só para constar: o histórico de confrontos entre Djoko e Stan em Slams é liderado por esse primeiro por 4×3. Porém, dessas 4 vitórias, uma aconteceu em 2012, por desistência do Wawrinka, que à época era o 19º do ranking, bem longe de sua mehor forma, e as outras três foram todas conquistadas em cinco sets, o que prova que o sérvio jamais teve facilidade frente ao detentor de 3 Majors em grandes torneios. Já o suíço conquistou duas de suas três vitórias em finais, uma delas em 2015, época na qual Nole estava no seu auge. Importante lembrar também que o tênis não se resume a backhand; pontanto dizer que o compatriota do Federer perdeu seus jogos devido a esse golpe é uma tremenda besteira. Como disse nosso colega acima, foi apesar dele. Basta ver as quartas de final entre eles no AO 2013: Stan fez milagres com aquela esquerda, mandou belos winners, cometeu pouquíssimos erros com ela, mas no final perdeu numa partida decidida nos mínimos detalhes – Djoko, aliás, logo depois declarou que não merecia ter vencido.

            Nesse vídeo que eu deixei, em um momento, na final de Roland Garros 2015, Wawrinka havia feito incríveis 19 winners de backhand; o Djokovic, a efeito de comparação, 2. A eficiência e poder da esquerda do suíço é um espetáculo. Não precisa ser fã para perceber que o que você disse foi uma baboseira histórica. Procure no youtube qualquer jogo dele contra os grandes em jogos importantes e veja o tanto de winner que ele faz com esse golpe que você chama de pífio.

            De qualquer forma, fica aqui meus parabéns por ser o autor de uma das maiores besteiras que eu já li nesse blog. Pra conseguir comparar só mesmo aquela história de conspiração da Nike para o Federer voltar ao número 1.

          3. Chileno

            Pois é… comentário bastante superficial o dele. Vê uma estatística isolada e tira uma conclusão bisonhamente errada dela. É como um dirigente de um time que tem perdido as partidas porque toma gols demais. Sem pensar duas vezes o cara vai lá e troca o goleiro, afinal, se o time toma muitos gols, obviamente o problema é o arqueiro. Pouco tempo depois o goleiro que o cara demitiu é contratado por um time rival e se destaca lá, enquanto o cara que o substituiu toma ainda mais gols do que o antecessor. Conclusão? O goleiro era muito bom, mas provavelmente a defesa, laterais e/ou volantes é que eram ruins.

      2. Dario Lemos

        Comecei a gostar de tênis após o tetra de Borg mas, pessoalmente, nunca gostei do backhand de duas mãos; considero que seja usado para suprir as limitações (falta de genialidade) de um tenista além do movimento ser plasticamente horrível. No caso do sueco, li lá pelas reportagens dos anos 1970 que o mesmo começou a usar tal golpe devido a raquete ser pesada demais para um garoto de 6 anos. Atualmente, mal um garoto entra em quadra e lá vem os técnicos falando para usarem essa maldita maneira de bater o backhand com duas mãos.

        Responder
        1. João ando

          Dário .reamente era assim no passado década 70/80…mas essa bem que podia responder e o dalcim …dalcim como é o ensinamento para as crianças de 6/7 anos hoje em dia os professores preferem que as crianças batam o bachand com duas mãos..?0pois sem dúvida o bachand com uma mão e melhor na minha opiniao

          Responder
      3. Antonildo S Costa

        Um desses recursos é o slice, recurso esse que o Djokovic quase que desconhece, como diz aqui na minha terra:”O slice do Djoko é cego”.

        Responder
  57. Rafael Wuthrich

    Montreal será um torneio estranho. Federer volta depois de 15 dias, Nadal depois de 20 e a preocupação é o ritmo. Fora os 2, ninguém mais está confiável. Thiem, o 3o do ano, conseguiu perder um jogo em Washington em que saiu do buraco e perdeu MP; Kyrgios está lesionado e Zverev cheio de altos e baixos. Os demais não tem qualquer consistência ou estão lesionados. Pior é pensar que esse panorama não deverá mudar até o US Open.

    Sinceramente, não sei o que poderá acontecer. A falta de ritmo pode ser traiçoeira para Federer e Nadal, mas fora isso é improvável que os dois não decidam no Canadá. Quem diria.

    Responder
  58. Rafael Wuthrich

    Dalcim, estimulei o pessoal no grupo a ler os comentarios antigos e descobrir por que você é chamado de “Guru” pelos mais antigos do blog…Meu caro, você tinha e tem uma paciência digna de Guiness, realmente.

    Outro aspecto interessante foi notar que seus ótimos posts não envelheceram com o tempo, e os próprios comentários da época (os lúcidos e não ofensivos, é claro) fazem ainda mais sentido, sobretudo a respeito de Federer, Nadal e Djokovic. Incrível.

    As brigas foram muitas, mas você sobreviveu meu Guru. Ou melhor: nós sobrevivemos rsrsrs

    Responder
  59. Raul Patti

    Dalcim
    Caso o Federer ganhe pelo menos mais 1 slam, você vê chances de Rafael Nadal supera-lo em número de Slams?
    Se puder enriquecer a resposta com opiniões como diferença de idade, prognóstico de carreira e lesões , etc, ficaria muito agradecido

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Mesmo com 19, já é difícil a tarefa para Nadal, Patti. Claro que uma eventual conquista no US Open poderia animar o espanhol, porque é bem provável que teremos ainda um Australian Open favorável a ele com as recentes contusões dos grandes adversários. A maior chance estará sempre no saibro francês, onde há uma clara escassez de especialistas de alto nível. Portanto, acho que a real oportunidade de Nadal somar Slam e se aproximar de Federer seja agora.

      Responder
  60. Nando

    Mestre, estava lendo aki alguns coments antigos de 8, 10 anos atrás e aí me lembrei o motivo de vc ser o Guru kkkkkkkkk, eram mtas batalhas aki mas vc sobreviveu, firme e forte!

    Responder
        1. João ando

          Ele não conseguiu bater um recém aposentado Nicolas lapenti em uma taça Davis ha pouco tempo atrás .imagina do fognini que está jogando em alto nivel

          Responder
          1. Marcos Castillo

            E lá vem vc falar abobrinha novamente, principalmente quando o assunto é o Bellucci… Esse jogo há pouco tempo atrás que vc se refere seria o de 2009? Contra um cara que chegou a ser 6°do mundo?
            Pq vc não fala das vitórias do brasileiro contra Murray, Wawrinka ou Nishikori?

          2. João ando

            O lapenti estava parado ou jogando…me responde esta..estou falando do nicolas e nao do irmao Giovani. ..realmente nao gosto do thomaz como tenista ptefiro outros que tem mais raça ..como o Rogério e o Thiago Monteiro …gosto a gosto casa um tem o seu .certo …?

          3. Marcos Castillo

            Sim, estou falando do Nicolas no comentário abaixo. Giovanni não passou nem perto de ser 6 do mundo. Como não veio o “responder” em azul no balão da sua tréplica, deixo a resposta aqui mesmo. E concordo que cada um tem seu gosto, mas vejo vc falando muito mais do seu desgosto do que do seu gosto. Abs!

          4. João ando

            Marcos Castilho. Falo muito dos que eu gosto. Aprecio o tênis clássico do jimbo do Roger e do tenis ag3ssivo do guga.gosto muito atualmente da elina svitolina e aprecio muito a garra do Rogério Dutra. Gostava muito do Michael Chang pegando as bolas nas subidas .vc deve ver mais posts muito pouco…ou melhor quando eu critico duramente o thomaz por não apreciar o seu tênis totalmente sem vontAde de vencer e sem procurar um psicólogo esportivo por suas tanto ha que certamente e um problema psicológico se não for no nível que está deve ver um fisiologista…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *