A estrela sobe
Por José Nilton Dalcim
13 de agosto de 2017 às 00:15

Ainda falta uma grande campanha em Grand Slam para Alexander Zverev mas, mesmo sem sequer ter chegado às quartas da Austrália, Paris ou Wimbledon neste ano, o garoto de 20 anos já é o terceiro tenista que mais somou em 2017 e dificilmente sairá do US Open fora do top 5 do ranking.

Mais ainda, com os 3.775 pontos que acumulou até agora, já tem vaga garantida no Finals de Londres, já que historicamente nenhum tenista com pelo menos 3.500 deixou de participar da nobre competição que encerra cada temporada.

Zverev só perde mesmo para Roger Federer e Rafael Nadal, justamente porque os dois dominaram todos os Slam e ganharam pelo menos dois Masters cada um. O suíço particularmente faz uma temporada cada vez mais assombrosa, está muito perto de assumir a liderança do ranking desde janeiro e se coloca em condições de lutar pelo número 1 já na próxima semana.

Neste sábado, o suíço concretizou o notável feito de atingir todas as finais dos grandes torneios que disputou e pode vencer seu terceiro Masters num mesmo ano pela primeira vez desde 2012. Na verdade, se ganhar Montréal pela primeira vez, reunirá sua melhor coleção de troféus desde 2007, quando venceu três Slam e dois Masters, além do Finals.

Fato também relevante é que Zverev, se conquistar seu segundo Masters, terá número de títulos desse quilate superior a Wawrinka, Ferrer e Berdych ou nomes do passado como Haas, Soderling e Ljubicic. E terá Masters em dois pisos diferentes, algo que gente como Hewitt, Tsonga, Nalbandian, Coria, Bruguera e Rafter não conseguiram.

Claro que Federer, mesmo sem estar jogando seu melhor nesta semana, tem de ser considerado o favorito. A situação lembra um pouco o que aconteceu em Halle, poucos meses atrás, quando também não vinha fazendo jogos brilhantes mas de repente encaixou todas suas armas e atropelou Zverev na final da grama.

O alemão precisa estar preparado para bolas baixas e correr para a frente atrás de deixadinhas ou voleios curtos, detalhes que ainda lhe trazem dores de cabeça. Sem falar de um natural cansaço, já que vem do título em Washington. Não pode ter um início vacilante porque aí Federer cresce demais.

Já a final de Toronto deste domingo reúne duas jogadoras que fazem uma temporada muito consistente: Carol Wozniacki e Elina Svitolina. A dinamarquesa sobreviveu a uma chave onde estavam Karolina Pliskova, Angelique Kerber e Petra Kvitova, todas com competência na quadra dura e um tanto mais rápida. Wozniacki fez valer seu forte jogo de base e grande trabalho de pernas, contando com a importante ajuda de Sloane Stephens, que se encarregou de surpreender Kvitova e Kerber.

Svitolina foi muito bem até Roland Garros, somando quatro de seus oito títulos na carreira neste 2017, com destaque para o saibro de Roma. Ainda aos 22 anos, a número 5 do ranking está numa semana inspirada, com vitória esmagadora sobre Venus Williams, virada em cima de Garbiñe Muguruza e um incrível duplo 6/1 sobre Simona Halep. Aliás, venceu quatro sets neste sábado.

Quem ganhar neste domingo subirá ao quarto lugar do ranking e ficará a menos de 100 pontos de Kerber. A ucraniana ganhou os dois duelos já feitos, ambos no piso sintético.


Comentários
  1. Alfred

    Dalcim, boa noite. Assisti a final e achei o federer simplesmente irreconhecível. Não tive acesso Ainda aos dados do jogo, mas o saque tava bem abaixo, o forehand não tava machucando nada e o backhand não existiu (optou apenas por slices e Ainda tava errando). Até quando subiu p rede foi mal. Além disso, estava se movimentando mto abaixo do normal. Sabemos que ele não jogou mt bem a semana toda, mas achei super estranho essa apresentação desinteressada e com certa apatia, considerando que era uma final de masters 1000. Na torcida que ele não esteja sentindo nada Grave que atrapalhe o desempenho no us open. O que achou?

    Responder
  2. Rafael Wuthrich

    É Dalcim, claramente Federer fora de suas melhores condições físicas. E, acredito, isso resultou em lesão nas costas. A ver o que reserva o US Open, mas acho que será complicado pra ele. Frustrante.

    Responder
  3. marcilio aguiar

    Independentemente de algum problema físico com o Federer, o Zverev teve todos os méritos e disse a que veio. Caminha a passos firmes para tomar a coroa do Big Four. Se não me falha a memória, nos últimos doze anos ele é o primeiro, fora do big 4, a ganhar dois Masters no mesmo ano. Parece estar maduro para fazer um grande USOPEN.

    Responder
  4. Diego Santos Lima

    Acho muito cedo pra tirarmos conclusões, foi o primeiro torneio de quadra dura pros grandes. Precisamos de Cincinatti pra ver melhor.

    Responder
  5. Paulo Henrique

    “…Previsão ridícula, esta tua… Não vislumbro a menor possibilidade do Zverev, ou o Shapovalov atropelarem o Federer”.

    Mais um recibo carimbado!

    Responder
  6. JANAINA M DIAS

    HÁ ALGO DE ESTRANHO NO REINO DA SUÍÇA:

    Em 1° lugar os parabéns ao Zverev que tá jogando muito e mereceu grandemente esse Master.

    Só fico triste porque o Federer NÃO DISPUTOU essa final, só passou a bola pro outro lado e esperou o jogo acabar..muito estranho..
    Espero que ele não esteja assim no US OPEN..

    Responder
  7. Marcos RJ

    Federer nitidamente sacou abaixo da média com apenas 50% de 1o saque, além de movimentação deficiente no final do 2o set.
    Alguma notícia até agora sobre uma possível contusão? Como foi a entrevista após a final?
    Independente da resposta, a vitória de Zverev foi merecida e incontestável. Jogou muito e o título está em ótimas mãos.

    Responder
  8. André Barcellos

    Tudo bem que o suíço tenha um jogo, um dia ruim.
    Mas neste torneio não houve um jogo sequer em que ele esteve realmente bem.
    Mas ok, acontece…
    Só me preocupa que ele esteja machucado. Nitidamente não sacou normalmente.
    Nitidamente também bateu mais de pé do que se deve.
    Enfim. Tudo estranho.
    Espero que seja momentâneo.

    Responder
  9. Luiz Fernando

    Lógico, será q vc aparece hj? Acho q não kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!! Como vc sempre posta, chupa q é de uva kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Responder
  10. Luiz Fernando

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK e os bobos de sempre estão de luto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!! Sofrencia, quem está na sofrencia hj? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Responder
  11. Ramon Mota

    Sei que o Zverev nada tinha haver com isso, maaaasssss.. O Federer não estava jogando 30% do que podia. Nem me preocupei com a partida, mas sim se continuar na quadra era o melhor para ele. Não é normal um primeiro saque a 175km/h por diversas vezes. Zverev fez o de sempre, nada muito espetacular, mas felicidades para ele.. Espero que o Federer seja inteligente e pule cincinati para focar no Usopen.

    Responder
  12. Luiz Fernando

    Zverev mais uma vez demonstrando q já saiu de promessa p realidade. Venceu 2 M1000, o mesmo numero de Rafa e Federer, vencendo jogadores do calibre de um Djoko e de um Federer. Tornou-se um cara q já não pode mais ser desprezado nos sorteios. Finalmente das novas gerações emerge alguém q pode incomodar o Big4.

    Responder
  13. Rafael

    Parabéns à Zverev. Já ganhou M1000 do mais difícil, Djokovic, e agora ganha do mais experiente, Federer.

    Totalmente merecido, e todos os méritos à ele.

    Responder
  14. Rafael

    “Renato

    Onde está o erro na frase que eu escrevi? We’ll é abreviação de we will que veio na frente de “maybe” que indica “possibilidade “. Aliás, vc sabe a diferença entre will, going to e ing para o futuro? Se quiser eu te ensino.”

    O erro está em que não se TERMINAM frases em inglês com contrações (com preposições, é aceitável coloquialmente, mas indica a qualidade pobre do inglês de quem utiliza essa construção, só por curiosidade). Se vc tivesse escrito Maybe we will, estaria tudo bem, como em Maybe I am, etc. E nem se venha falar em “I ain’t”, a não em certos casos especialíssimos, como uma pessoa respondendo à outra com “Maybe I am, maybe I ain’t”. Talvez vc veja esse tipo de linguagem em certas minorias que não tiveram acesso à educação ou que tiveram outros impeditivos. Outro exemplo é “your the best person I ever met”. Há mais nativos do que se imagina usando esse your, e isso não impede de ele ser E estar errado.

    Assim, Renato, vc não está apto a ensinar inglês,. como ofertou em sua resposta. Não corretamente, pelo menos. Para ensinar, além de didática, paciência, disciplina, etc, é preciso saber.

    Com diria Eddie Van Halen, um dos melhores guitarristas que já vi tocar:”First you gotta learn the rules, then you can start breaking them”

    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, o Daily Express é um veículo sério. Claro que são especulações, mas parece que todo mundo está concordando que a movimentação dele estava comprometida por dor ou lesão.

      Responder
  15. Sônia

    Dalcim, quanto desânimo do Federer, socorro, meus sais rsrs. Na minha opinião, não há nada de errado fisicamente com ELE, nada. Esse desânimo, falta de foco, displicência… sempre O ataca de vez em quando. Podemos lembrar de vários jogos no passado que ELE jogou “dessa forma”. ELE jogou nada de nada todo o torneio e ainda chegou na final rsrs. Fazer o quê? ELE é assim, quando não tá com vontade nem tenta rsrs e como O amo, “tento” compreender rsrs. Parabéns Zverev, jogou com seriedade o tempo todo e mereceu vencer o torneio. O troféu ficou em boas mãos, voce é do bem. Quem eu não queria que vencesse de jeito nenhum, foi eliminado precocemente, de maneira sofrida e vexatória rsrs, adoooooro. Agora o técnico espanhol do alemão estava cheio de sinais com os dedinhos rsrs… alguém precisa dizer pro fofucho que não é truco, é tênis rsrs. Outra bandeja Lindinho rsrs, vida que segue. Bora pra Cinci, se é que VOCE vai jogar rsrs. SEMPRE JUNTOS Lindinho! SEMPRE. Beijos.

    Responder
  16. Pedro

    Dalcim, como falei antes, a campanha do Federer muito estranha, jogando bem abaixo do nível. Vc comentou que ele disse que não tinha se preparado, mas não acho que este seria o motivo. Como falei antes, pensei até que poderia ser alguma contusão, mas pode ter sido alguma virose, tipo gripe, porque ele estava meio lerdo, típico de uma pessoa doente. Vamos ver se ele estará em plena forma para o US Open.

    Responder
  17. Marcos Marinho

    Federer irreconhecível. 8 winners e 18 erros. Segundo saque com 155 km/h ou mesmo130 km/h. Sem se mover decentemente. Vai responder na coletiva se está lesionado. Aparentemente o US Open vai se abrindo aos tenistas da nova geração. Com Murray lesionado, Wawrinka e Djoko fora, Federer sob alguma suspeita… Ou Nadal vai nadar de braçada ou algum novato vai vingar.

    Responder
  18. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    sabe informar se houve alguma lesão com o Federer? Saque bem abaixo do normal. Muito estranho. Dominado completamente. Será que pode ser o velho problema das costas??

    Responder
  19. Pieter

    Desculpem-me a expressão mas esta final foi realmente “brochante”. Um Federer totalmente apático, parecendo sem vontade ou sofrendo de alguma lesão.
    Ao menos ele apareceu para jogar e não deixar o público na mão.

    Responder
  20. Luis

    Dalcim nao deu pro Federer valeu mais 1 final 2017 rs e o recorde sera’ em outra vez 94 ,tava meio lento o suico no final da partida tomara esteja legal pra Cinci e US Open e o Zverev ja e’ um dos melhores lembra um pouco Djokovic no fundo da quadra Dalcim duas maos tambem? E o numero 1 pro Suico com a final ta bem possivel rs,Go Federer sempre Juntos Soninha e Logico kkk,e aguenta o Luiz Fernando rs

    Responder
      1. Rodrigo Keke

        Pois é, Dalcim, principalmente no segundo set a movimentação do Roger batendo o forehand estava muito diferente do usual também, nitidamente economizando no movimento. Em alguns momentos lembrou o Mannarino, batendo de forma a utilizar a força do adversário…

        Acho que ele vai abdicar de Cincy para tentar chegar ao Us Open em melhores condições.

        Responder
  21. Thiago Prada

    Eu continuo achando que tem algo físico com o Federer, a bola dele parece sem potência, está sendo muito mais quebrado do que o normal, não sei, mesmo tendo ganhado até agora, estou preocupado, e nessa final ele continua a mesma coisa, começou bem ameaçando o saque do Zverev, mas agora…..

    Responder
  22. Márcio Souza

    Federer em mais uma final, a 45° final de Masters 1000 do suiço que até hoje ganhou 26 e perdeu 18.

    Que venha o 27° caneco de Masters 1000 e a busca pelo número 1 seja coroado no domingo que vem também com o título em Cincinnatti.

    Que bom para os admiradores do tênis ainda vermos um gênio em ação como FEDERER, tenho certeza de que ele vai deixar muitas saudades, até naqueles que são torcedores adversários e que ficam pegando no pé dele.

    Merecido retorno aos títulos e conquistas que sempre permearam a carreira desse excelente esportista.

    Parabéns a todos os papais que participam aqui do Blog, um Feliz dia dos Pais para todos!

    Vai Federer ganha mais esse caneco pra sua torcida!

    Abs.

    Responder
  23. Luciano Serafim

    Dalcim, boa tarde,
    Acabo de ver uma reportagem que mostra diferença de premios entre homens e mulheres no master 1000 do Canada.
    Mesmo sendo em cidades diferentes achei que fosse patrão premios iguais.
    Essa diferença acontece em outros torneios?
    Segue a reportagem
    Prêmio de dinheiro: 2017 Montreal Masters. Vencedor com nem mesmo um milhão? E qual é o raciocínio para as diferenças de remuneração por gênero aqui e não @ a Slam?
    Evento W F SF QF Rodada de 16 Rodada de 32 Rodada de 64 Q2 Q1
    Singles masculinos $ 894,585 $ 438,635 $ 220,760 $ 112,255 $ 58,295 $ 30,730 $ 16,595 $ 3,820 $ 1.950
    Singles das mulheres $ 501.975 $ 243.920 $ 122,190 $ 58.185 $ 28,030 $ 14,360 $ 7,745 $ 3.150 $ 1,905
    Duplas Masculinas $ 277,030 $ 135.630 $ 68,030 $ 34.920 $ 18,050 $ 9,520 N / D N / D N / D
    Duplas femininos $ 143.600 $ 72,534 $ 35,910 $ 18,075 $ 9,170 $ 4.530 N / D N / D

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A igualdade de premiação só acontece nos Slam, Luciano, que são organizados pela mesma entidade. No caso dos torneios do circuito normal, eles são administrados pela ATP e WTA individualmente, seguindo seus critérios de premiação e pontuação.

      Responder
  24. Marcos Marinho

    Vi agora uma notícia de que Zverev está classificado pro Finals da nova geração, em Milão. Dalcim, com sinceridade, vc acha que o Zverev precisa disso? Esse torneio me parece um “empurrão” que a ATP está dando nos jovens, uma oportunidade de eles disputarem pontos apenas entre eles, sem a presença de favoritos mais experientes. Na minha avaliação o alemão não precisa disso. Com duas finais de Masters, título de Roma e em Washington (até agora), podendo levar no Canadá, dentre outros, seu foco tem que ser direcionado àquele que é seu lugar por direito: o tênis de mais alto nível. Esse torneio é pra quem não consegue engrenar.

    Esse Finals dos jovens vai distribuir quantos pontos ao campeão? Os mesmos 1500? Enfim, gostaria de saber sua opinião sobre.

    Responder
  25. Julio Calleja

    Me lembro quando em 2007 no Master do Canada, o então numero 1 do mundo Federer, ja experiente, consolidado e já com a aurea de lenda do esporte enfrentava um novato, aspirante a estrela do circuito na final. Passado 10 anos, esta la o Federer de novo, enfrentando na final outro novato de ouro, com a mesma expectativa de futuro que se impunha ao Djoko…

    Responder
  26. Pedro

    Dalcim – No Brasil existe muito fanatismo com relacao a preferencia por tenistas. Veja aqui no blog, existe uma briga ferrenha entre torcedores do Nadal, Federer, Djokovic e Murray, como nao se ve em nenhum lugar do mundo. Infelizmente me parece que a cultura do futebol invade as discussoes do tenis, muitas vezes deixando-as mais pobres. De qualquer forma, como estamos a 2-5 anos da aposentadoria do Big 4, como voce acha que sera a migracao de torcedores para a nova safra?

    1) De Federer para ….
    2) De Nadal para ….
    3) De Djokovic para …
    4) De Murray para …

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que irão para a característica básica de cada jogador. Os do Federer vão preferir backhand de uma mão e jogo agressivo, os de Nadal irão para os guerreiros, os de Djokovic e Murray para os que batem pesado da base.

      Responder
  27. Willian Lopes

    Impressionante o que Zverev vem conseguindo em 2017, e tão rapidamente já tem tudo pra deixar para trás jogadores como Tsonga, Berdych, Nishikori, Raonic, Gasquet, Goffin e alguns outros da chamada geração perdida, fazendo com que cada vez mais eles caiam no esquecimento. Mesmo que o Alemão não seja campeão em Montreal, esse título tem tudo pra vir em um dos próximos Masters, especialmente em Paris, onde provavelmente será o torneio 1000 mais aberto da temporada. Federer com certeza sabe o que o espera nessa grande final, e sabe que se não entrar ligado em quadra, terá muitos problemas na partida. Tem tudo pra ser um jogaço. Palpite: Federer derrota Zverev por 2 X 1, com parciais de 6/4 3/6 6/2.

    Responder
  28. Gilvan

    Muitos disseram que o Federer fez uma partida burocratica contra o Haase. Eu achei o primeiro set dele excelente, com lances de genialidade e muita consistencia. No segundo set o Haase sacou muito e deu poucas chances para o suico jogar nos seus games de servico.
    Foram poucos erros de backhand e voleios muito afiados. A melhorar ainda, seria bom ter uma porcentagem maior de acerto do 1o saque (ainda nao teve uma partida sequer com mais de 60% de 1o servico em Montreal).

    Responder
  29. Eduardo Augusto

    Caro Dalcim.
    Apenas para fazer justiça, não é verdade que Connors se ‘aproveitou’ de diversos torneios menores de ‘250’ e ‘500’[não existia nada disso] para bater recordes. O circuito, na época, principalmente nos anos setenta, era muito diferente, quando havia a temporada de pistas rapidíssimas em cancha fechada , o que se chamava de temporada de inverno nos EUA. Connors não tem culpa disso.
    Realmente ele foi um tenista de poucos amigos, não fazia questão alguma de ser simpático, era um competidor, acima de tudo..mas ganhou, com exceção do Aberto da França, praticamente todos os torneios grandes do circuito. – Wimbledon, Ab dos EUA, Ab da Austrália, Campeonato Aberto dos Estados Unidos para quadras de saibro, Campeonato Aberto dos Eua para pista coberta, Monte Carlo Open, etc, Com 40 anos, venceu tenistas que estavam entre os 15 do mundo, como Wayne Ferreira e ainda jogava de igual para igual com os melhores. Fez Chang[de 20 anos e cinco do mundo] suar muito em 1992, em cinco sets, no Aberto da França, Aos 44 anos, já fora do circuito há quatro, disputou um Atp Tour como convidado e perdeu em tres sets para o Reneberg, que era o 26 do mundo na época,em um jogo duríssimo.
    Devido à longevidade de Federer,com possibilidade de aproximar-se de outros recordes, vejo pessoas ,que não acompanharam o circuito na época, tentando diminuir os feitos do Connors – o que, a meu ver, não é correto, Connors tinha a melhor devolução de saque de sua época e um backhand excepcional.. subia à rede com muita competência , quando necessário, e voleava bem.. Ainda, tinha foot work extraordinário. Seu único golpe falho era o serviço. E jogou numa época que o tenista tinha de se virar, porque , de uma semana para outra, o piso mudava de quadra lenta para uma rapidíssima, ao contrário de hoje. Para mim, Connors está entre os cinco melhores de todos os tempos, ao lado de Borg, McEnroe, Sampras e Federer.

    abraços e parabéns pelo blog,

    Responder
  30. Silvio Paccola Jr.

    Dalcim, uma situação me intriga.
    O Connors parece ter sido um fenômeno, com recordes insuperáveis de títulos e vitorias.
    Mas nunca está nos torneios, não aparece, ninguém contrata ele como treinador. O que acontece?
    Vive recluso? Por onde anda? É um mala?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele já tentou treinar. Trabalhou com algum sucesso com o Roddick e foi um fiasco com Sharapova. Tem uma personalidade bem difícil, costumava no entanto jogar muitos torneios de veteranos.

      Responder
    2. Julio Calleja

      Ele nao vive tão recluso assim. Alem de já ter treinado o Roddick e a Sharapova, como disse o Dalcin, na maioria das vezes ele aparece no US Open.

      Responder
  31. Daniel

    Dalcim, desde que te passei meu número, ainda não recebi nenhuma notificação de adesão ao grupo de WhatsApp. Não sei se te passei o número errado ou se estou sendo “sorteado” em relação a problemas rs. Se vc puder verificar pra mim, agradeço.

    Responder
  32. Evaldo

    Esse jogo representa um marco: É a consagração definitiva, do melhor de todos os tempos, passando o bastão ou dando as boas vindas ao melhor da nova geração!!! Que jogaço vai ser!!! Imperdível!!!

    Responder
  33. Pedro

    Dalcim, o post muito bem analisado. Na sua opinião, o que aconteceu com Federer nesta semana? É claro que está jogando abaixo de seu nível, e conforme até narradores e comentaristas de TV, vem demonstrando uma cara fechada, sem alegria. Um início de contusão próximo ao US Open?

    Responder
  34. horacio nelson wendel

    Dalcin, voce esqueceu de frisar que Zerev também está no Milan Finals, torneio entre os 8 melhores do mundo até 20 anos de idade,
    disparado com 3.165 pontos, que terá sua primeira edição uma semana antes do London Finals

    Responder
      1. João ando

        Dalcim. Acho esse nextgen finals uma besteira de torneio ..uma semana depois tem o finals.qual o objetivo do nextgen?depois vai fazer o nextgen abaixo dé 23 anos. De 25 .um torneio caça niquel

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho válido para dar mais visibilidade à nova geração, mas esse não é mais o caso do Zverev. O alemão tem é que jogar no alto nível e esquecer Milão.

          Responder
          1. Rodrigo Keke

            Dalcim, pois eu penso que neste momento Zverev sequer pensa em jogar o torneio em Milão, pois o Finals “de verdade” já é uma realidade para ele. Isto posto, fica a pergunta: ele abdicaria de jogar o NextGen Finals em prol do torneio na arena 02 de Londres? Ele seria de alguma forma obrigado contratualmente a jogar em Milão? Abs!!

          2. José Nilton Dalcim

            Acho que ele não gostaria mesmo, mas até declaração ele deu para o site da ATP. Vai haver com certeza pressão.

  35. Luis

    Dalcim uma das finais esperadas em Montreal entre Federer x Zverev,Federer pelo ultimo encontro Halle e maior experiencia e’ favorito mas Jovem alemao tem golpes pra incomodar Federer bons golpes do fundo de quadra saque cabeca boa promete ser uma grande final entre o maior da historia pra muitos contra melhor representante da nova geracao em 2017,tomara que Suico ganhe Montreal chegando recorde de 94 de titulos e muito perto de ser numero 1 rs chances na final 60% 40% pro suico Dalcim?

    Responder
  36. Mário Fagundes

    Assim como alguns federistas já se posicionaram favoráveis, também não fiicarei chateado caso Zverev vença a final. Esse moleque faz por merecer.

    Responder
  37. Mário Fagundes

    No duelo na semi da “nova geração”, venceu o mais experiente dos dois. Incrível a maturidade que alcançou Zverev, pois jogou contra um promissor adversário e sua torcida, e ainda assim, manteve a concentração, fez valer a quilometragem adquirida no circuito e dominou o rival. Ao meu ver, isto ratifica o que Pessanha (salvo engano) afirma em relação a gerações de tenistas. Ontem, na quadra, havia uma diferença de idade entre os tenistas de apenas dois anos, mas um deles se profissionalizou em 2013 (Zverev), já ocupa o Top 10 e já foi campeão de grandes torneios, portanto tem mais bagagem em sua curta carreira, enquanto que Shapolavov está no seu primeiro ano como profissional. Isto fez a diferença! Assim, é possível concluir que Zverev e Shapovalov NÃO fazem parte da mesma geração de tenistas. Como você analisa essa questão, Dalcim?

    Responder
  38. Pieter

    Excelente post, Dalcim! Análise primorosa, cheia de informações curiosas e relevantes.
    Artigo de mestre mesmo.

    Quanto às meninas, li aqui no site que a Caroline Wozniacki tem chance de, até o fim do ano, ser até mesmo a número um do mundo!
    Ela tem feito uma temporada muito consistente, chegando a sua sexta final, infelizmente sem títulos ainda.
    O que acha dela como jogadora, Dalcim? Penso que ela até mereceria ganhar o US Open, é uma tremenda batalhadora.

    Responder
  39. Nando

    Mestre, acha q o forehand do Zverev é algo a ser explorado pelo Rei? Pois vendo o jogo dele contra o Shapovalov (bom jogo aliás), vi q sua direita ainda está abaixo do seu back.

    Responder
    1. Willian Lopes

      Tbm acho isso, e se for ver o Forehand dele é um fundamento que apesar de ser bom, pode ser ainda melhor e Ferrero talvez pode contribuir para isso. Antes de explorar o Forehand, Federer pode usar o slice para baixar bem a bolinha e chamar o alemão pra rede, além de evitar longos rallys e abusar nos drop shots.

      Responder
  40. Rafael Wuthrich

    Federer fez outro jogo burocrático mas levou sem maiores problemas. Acho que deverá elevar o nível amanhã, sob o risco real de perder. Zverev é perigoso, vem jogando bem mas não é perfeito. Teve muitas dificuldades de novo contra a variação de um Kyrgios que se movimentava mal, e teve muitos problemas contra Shapovalov, principamente quanto teve que sair da linha de base. Contra Kevin Anderson sofreu com o saque, e poderia ter perdido ao menos 1 set, quando sul africano desperdiçou chances, assim como o canadense. Federer é favorito, sem dúvidas, mas é bom não duvidar do alemão.

    Responder
  41. Carlos

    Dalcim , não tenho certeza mas acho q você errou ao falar q Tsonga será superado por Zverev em títulos de Masters 1000 , se n me engano Tsonga já ganhou dois Masters 1000 , diferente daqueles listados como Wawrinka, Ferrer,… Inclusive ganhou até um Masters 1000 no Canadá !! Abraço / E qual é seu palpite pra final?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Isso mesmo. A citação ao Taonga saiu no lugar errado. Como eu disse, considero Federer favorito se ele conseguir executar o plano correto de baixar a bola e puxar Zverev para frente.

      Responder
  42. Marcelo Reis

    Veja como a vida é: Shapovolov caiu de paraquedas no quinta de sua casa e deu show! Levando em conta seus tenros 18 anos, agora mostra uma certa maturidade, o que já o difere daquele moleque de outrora que acertou o juiz de cadeira com uma bolada “culposa”. Tem tudo para ser um mega jogador!

    Zverev já é presente! Ótimo jogador e cada vez mais experiente, não me surpreenderá se ganhar amanhã e já se coloca como um dos 4/5 ao US Open, a meu ver.

    Federer tem dado uma aula: aula de como ganhar jogando “burocraticamente” abaixo de sua média anual. Só ele pra fazer essas coisas. Mas acredito que precise fazer bem mais para levar o título.

    Quem ganhar amanhã, o título estará bem representado. Que maravilha! 🙂

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *